Incluir para vencer. Este é o lema do Rio de Janeiro Soccer Power

175

Por Severian Rocha

Rio, Julho, 2016- Formados por jogadores em cadeiras de rodas o Rio de Janeiro Soccer Power, time de futebol carioca supera desafios e conquista pela segunda vez, vaga na Taça libertadora, que será disputado em Buenos Aires (ARG), para pessoas com deficiências motoras severas.

RIO LIGHT POWER
Atletas do Rio de Janeiro Soccer Power durante cerimônia de recebimento das 04 cadeiras motorizadas, no Centro Cultural da LIGHT.

A modalidade que é a única, permite a inclusão de crianças a partir dos 6 anos, pessoas de qualquer gênero, com deficiência motora severa, tetraplegia, paralisia cerebral, distrofia muscular, entre outros no mesmo time e sem limite etário tem sido motivo de orgulho e referência por todo Brasil. Em especial para os pais, que possuem filhos portadores de necessidades especiais. É o caso de Bruno Fernandes, Presidente do RJPS, que tem um filho cadeirante e ficou emocionado ao participar da cerimônia de entrega das 04 cadeiras motorizadas doada pela LIGHT e Assim Saúde, que aconteceu no Centro Cultural da Light.

“É um momento de muita emoção nessa entrega de equipamentos para o time de Paradesporto, que pratica esporte de cadeiras de rodas de alta performance com uma qualidade, uma ligação com o esporte, muito alta. E consequentemente traz para o atleta uma auto estima, uma produtividade, um poder transformador para todo nós e para a sociedade”.

O esporte foi criado no Canadá e na França no final dos anos 70 e hoje, já é praticado em mais de 30 países. O tetracampeão mundial de futebol Bebeto, que abraçou o time do RJSP também ficou muito emocionado durante a cerimônia: “Esses meninos são guerreiros, é uma lição de vida para todos nós. É um prazer está aqui, poder contribuir com o esporte, com esses garotos que jogam futebol em cadeiras de rodas. É o esporte mais uma vez transformando e dando oportunidades para aqueles que mais necessitam”.

Para a Light, a entrega das cadeiras motorizadas representa disseminar energia, além da forma operacional. “Neste momento falamos da energia que move esses atletas, que modifica a vida dessas pessoas, a energia que modifica realmente a pessoa”, disse o Gerente do Instituto e do Centro Cultural Light, Luis Felipe Younes.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.