SindusCon-SP: Fase 3 do MCMV pode ser propulsora da retomada da construção

756

Faixas 2 e 3 devem ter início em até 30 dias. Faixas 1 e 1,5 somente em 2016


O Conselho Curador do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) aprovou ontem (27) a elevação do limite de preços para imóveis das faixas 2 e 3 que podem ser comprados dentro dos critérios da fase 3 do programa Minha Casa, Minha Vida.

Para as regiões metropolitanas de São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal, o preço máximo dos imóveis do programa foi ajustado de R$ 190 mil para R$ 225 mil. Os valores não eram atualizados desde 2012.

Para o vice-presidente de Habitação Popular do SindusCon-SP, Ronaldo Cury, a decisão poderá ser propulsora da retomada da atividade na construção. “Não foi atendido tudo que o setor necessitava, mas reconhecemos o esforço da parte deles”, afirma.

A entrada em vigor das faixas 2 e 3 do MCMV 3 são esperadas para ter início em até 30 dias. Já as faixas 1 e 1,5 apenas para o início de 2016. “Há um compromisso moral do governo em tentar agilizar o máximo possível”, finaliza.

Regiões metropolitanas

Nas regiões metropolitanas do Centro-Oeste, Norte e Nordeste, o valor máximo passou a ser de R$ 180 mil. Para as regiões metropolitanas dos estados do Sul, além de Minas Gerais e do Espírito Santo, o limite passou para R$ 200 mil.

Para os municípios abaixo de 20 mil habitantes, o teto passa a ser de R$ 90 mil.

Sobre o SindusCon-SP

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) é a maior associação de empresas do setor na América Latina. Congrega e representa 650 construtoras associadas e 15 mil filiadas em todo o estado. A construção paulista representa 34% da construção brasileira, que por sua vez equivale a 5,5% do Produto Interno Bruto do Brasil.

Fonte: assessoria de Imprensa – Sinduscon-SP

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.