Sindicato fiscaliza condições de trabalho na obra noturna do Parque Olímpico da Barra

348

O Sintraconst-Rio vem reforçando a fiscalização sobre as condições de trabalho nas obras relativas aos Jogos Olímpicos de 2016 diante da proximidade do prazo de entrega das instalações.

OPERÁRIOS I NOITE

Na última semana, a equipe 5 do Departamento de Segurança do Trabalho do Sindicato fiscalizou as condições dos trabalhadores do período noturno da obra do Centro Olímpico de Tênis, do Consórcio ITD, no Parque Olímpico da Barra da Tijuca.

Cerca de cem operários trabalham das 20h às 5h no projeto das quadras de tênis.

“Conversamos com os trabalhadores, explicamos os direitos que eles têm, principalmente pelo trabalho à noite, durante a madrugada”, destaca o líder da equipe 5, Alfredo Laeber.

A CLT determina que cada hora de trabalho noturno deve ser paga com adicional de 20% sobre a hora diurna.

Ainda durante a visita, o Sindicato reivindicou o fornecimento de repelente contra mosquitos. O produto foi providenciado pelo consórcio.

O Complexo Olímpico de Tênis vai ter 16 quadras distribuídas em uma área de nove hectares.

Há mais de um ano o Sintraconst-Rio está presente todos os dias no Parque Olímpico da Barra com profissionais do seu Departamento de Segurança do Trabalho, em um espaço fixo para atender os mais de 2 mil operários que dão expediente por lá.

Paralisação no Parque Aquático

OPERARIOS REUNIÃO

Nesta terça-feira (6 de outubro), o Sintraconst-Rio participou de uma paralisação de advertência com os cerca de 300 trabalhadores do Parque Aquático, do Consórcio Onda Azul, também no Parque Olímpico da Barra.

Os operários reivindicam melhor qualidade no almoço servido no canteiro.

“O frango tem um péssimo aspecto, e a carne moída fica boiando na água”, reclama um dos empregados do consórcio, se referindo à refeição de segunda-feira.

A equipe 5 do Departamento de Segurança do Trabalho se reuniu com os responsáveis pela obra.

“Nesta terça-feira o almoço até melhorou um pouco, mas 90% dos trabalhadores se recusaram a comer”, conta o líder da equipe 5, Alfredo Laeber.

A empresa prometeu se adequar às reivindicações.

Fonte: Assessoria de Imprensa Sintraconst-Rio

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.