Vendas no varejo de material de construção crescem 3% em outubro

195

Varejo

Comparação dos últimos seis meses do ano com o mesmo período do ano passado indica que vendas pararam de cair. Setor, no entanto, deve fechar 2016 com queda de 8% sobre 2015

Novembro, 2016 – As vendas no varejo de material de construção cresceram 3% no mês de outubro, na comparação com setembro. O desempenho é similar ao registrado no mesmo período do ano passado. Os dados são da pesquisa mensal da Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção), realizada pelo instituto de pesquisas da entidade com o apoio da Abrafati, Instituto Crisotila Brasil, Anfacer e Siamfesp. O estudo ouviu 530 lojistas de todas as regiões do país entre os dias 26 e 28 de outubro. A margem de erro é de 4,3%.

“Com os resultados apresentados no mês, o setor continua com queda de 7% no acumulado do ano e de 8% no acumulado dos últimos 12 meses. O lado positivo é que, comparando os últimos seis meses com o mesmo período do ano passado, o setor apresenta um desempenho ligeiramente melhor, com crescimento de 2%, o que nos indica que as vendas definitivamente pararam de cair”, explica Cláudio Conz, presidente da Anamaco.

Segundo ele, se essa tendência se confirmar, o setor deve fechar o ano de 2016 com queda de 8% sobre 2015, quando teve um faturamento de R$ 115 bilhões. “Se analisarmos o comportamento do varejo de material de construção nos últimos seis meses, podemos prever uma recuperação das vendas em 2017 da ordem de 3%”, explica o presidente da Anamaco. “Muito fatores devem influenciar diretamente o nosso segmento agora no final do ano, que é uma época em que as pessoas costumam arrumar a casa para receber a família e celebrar o Natal e Ano Novo. Além disso, teremos no dia 09 de novembro o lançamento do Cartão Reforma, pelo governo federal, e do novo programa da Caixa com o Construcard, que já colocou R$ 7 bilhões no orçamento de 2017 para financiamento de material de construção”, completa.

A pesquisa mensal da Anamaco mostrou que o aumento de vendas ocorreu principalmente nas regiões Nordeste (12%), Norte (5%) e Sudeste (3%). Já o Sul apresentou desempenho negativo de 6% e o Centro-Oeste teve resultado similar ao mês anterior.

Dentre as categorias pesquisadas, tintas, que possui um comportamento sazonal, foi a que obteve melhor resultado, com crescimento de 9%. Já revestimentos cerâmicos e louças sanitárias cresceram 2% cada, enquanto telhas de fibrocimento tiveram retração de 3%.

Os lojistas entrevistados pelo estudo esperam que novembro seja um mês de desempenho estável e de crescimento em algumas categorias sazonais. Cerca de 38% deles têm pretensão de fazer novos investimento nos próximos 12 meses e 13% pretendem contratar funcionários em dezembro. Já o otimismo com relação às ações do Governo nos próximos meses retraiu de 59% para 55%.

A Anamaco – Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção – é uma entidade de classe, sem fins lucrativos, que funciona como interface entre os órgãos governamentais e as Acomacs e Fecomacs, demais entidades, fabricantes e comerciantes de material de construção. Em 2016, a entidade comemora 52 anos de fundação de seu sistema associativista.

A cadeia da construção é o 4º maior gerador de empregos do país e remunera seus trabalhadores 11,7% mais do que os outros setores da economia. Em termos reais, o valor adicionado pelo comércio de material de construção cresceu a uma taxa de 8,5% ao ano entre 2007 e 2014, e o emprego expandiu-se a um ritmo de 6,5% ao ano.

Fonte: Assessoria de Imprensa Anamaco 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.