Vem aí o Impechament do Bolsonaro, com Guedes, Maia, Baleia, Lira e mercado… Coronavírus e o Auxílio Emergencial são o agente da saída

200 mil mortos ainda não abalaram o govrno federal Manaus pede socorro !

240

Janeiro, 2021 – Na história do Brasil, várias batalhas aconteceram, Balaiada, Guerra de Palmares, Canudos, Guararapes, Guerra dos Malês, Revolta da Vacina, Revolta da Chibata, Guerra do Morro do Alemão, Eldorado dos Carajás, Manifestações de 20213 enfim, uma série de incontáveis insurgências contra o poder estabelecido na Corte ou no Estado Novo. Todas essas lutas sempre tiveram como foco a conquista  por direitos sociais e econômicas ou até mesmo para manter uma cultura de um povo.

Entretanto, 2020, mudou tudo. Um inimigo diferente e invisível surgiu, o Coronavírus, derrubando diversas fortalezas do Status Quo. No mundo já temos 2 milhões de mortos segundo OMS e, no Brasil, são 200 mil mortos, com uma curva em crescimento constante ou seja, podemos ter no Brasil, pra cada 1000 pessoas, uma pessoa morta pelo COVID-19

E como o Brasil se defende deste vírus mortal: No dia 25 de março, de 2020, Bolsonaro fez um pronunciamento na TV demitindo o Ministro da Saúde, Henrique Mandetta, em decorrência do Ministério da Saúde adotar medidas de ISOLAMENTO SOCIAL TOTAL para combater o Coronavírus. Bom, o presidente Bolsonaro foi contrário ao isolamento dizendo que a ECONOMIA BRASILEIRA iria quebrar. O Brasil já está no fundo do poço desde do Golpe que retirou a  presidenta Dilma. O sucessor, Michel Temer adotou várias medidas pós golpe, entre elas, Reforma Trabalhista, Reforma da Previdência,  a famigerada PEC 95 (Congelamento de gastos públicos por 20 anos), ainda acabou com a Política de Conteúdo Local, ocasionando à morte da indústria nacional em especial, do setor Naval. Em suma, Temer também foi trágico para o país. O BNDES sumiu.

Voltando, ao combate ao COVID-19, via Bolsonaro, o presidente seguiu o NEGACIONISMO junto com seu MESTRE dele – Donald Trump – que tentou um insurgência  mal sucedida acerca de duas semanais.

Ao perceberem os boicotes praticado por Bolsonaro em relação ao combate ao COVID-19, diversos governadores se articularam na busca por soluções para amenizar o caos sanitário que se instala no país. O atual Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello apenas falou que no dia D e na hora H, a população será vacinada. Numa tentativa de conseguir vacinas fora do Brasil, Pazuello, afirmou que iria comprar na Índia, cerca de 2 milhões de vacinas. O governou indiano cancelou o envio de vacinas para o Brasil.

Na parte econômica, depois de muita pressão, Paulo Guedes, aceitou o Auxílio Emergencial de R$ 600,00 e meses depois caiu para R$ 300,00. Em dezembro acabou e não existe nenhum esforço de manter o Auxílio Emergencial pra 67 milhões de brasileiros. Para os BANCOS, em 24horas, foram repassados bilhões do governo federal. O FMI orientou o mundo para que os governos locais não poupem esforços para alavancar suas economias via recursos governamentais. Aqui, 2021, começa com fechamento da FORD, 50 mil demitidos, Sony, outros 20 mil demitidos, Audi, 5 mil demitidos, Forever 21, 10 mil demitidos e o Banco do Brasil, que dentro do seu processo desinvestimentos vai demitir 5 mil funcionários e fechar 600 agências por todo o Brasil.  O crescimento em V, do Paulo Guedes só chegará para os especuladores em 2021.

Enfim, o próprio processo NEOLIBERAL vai passar o governo Bolsonaro/Paulo Guedes ou melhor a dupla COVID-19/Mercado produtivo dará um basta no governo Bolsonaro. .

Bolsonaro aposta no governo da Milícia, Igreja Evangélica e Desorganização da LEI

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.