Vacina AstraZeneca tem 92% de efetividade contra hospitalização pela variante Delta

242

Cristina Azevedo (Agência Fiocruz de Notícias)

Julho, 2021 – Um estudo da Public Heatlh England (PHE) mostrou que a aplicação de duas doses da vacina AstraZeneca apresenta 92% de efetividade contra a hospitalização pela variante Delta (B.1.617.2) do Sars-CoV-2. A variante, antes conhecida como indiana, tem se espalhado rapidamente pelo Reino Unido e já teve casos confirmados no Brasil. A vacina também demonstrou uma alta efetividade contra a variante Alpha (B.1.1.7), identificada pela primeira vez no Reino Unido, com redução de 86% nas internações. 

O estudo da agência de saúde do governo britânico, publicado em versão pré-print no dia 14 de junho, envolveu a vacina da AstraZeneca, que no Brasil é produzida pela Fiocruz, e o imunizante da Pfizer. A pesquisa analisou 14.019 casos da variante Delta que chegaram às emergências dos hospitais ingleses entre 12 de abril e 4 de junho deste ano. Destes, 122 foram hospitalizados. Foi comparado o risco de internação entre os não vacinados e os vacinados com primeira e segunda doses. Outros 13.192 casos envolvendo a variante Alpha foram identificados, com 166 internações.

A efetividade média em relação à taxa de hospitalização para vacinados com a variante Delta foi similar à da variante Alpha, levando em conta os dois imunizantes: Alpha com 78% (uma dose) e 92% (duas doses); Delta com 75% e 94% (respectivamente).

No caso da Pfizer, a vacina apresentou média de 94% de efetividade após a primeira dose e 96% após a segunda contra a internação pela variante Delta. Na AstraZeneca foram registrados 71% de efetividade após a primeira dose e 92% após a segunda. “Estas descobertas indicam níveis de proteção muito altos contra as hospitalizações pela variante Delta com uma ou duas doses de qualquer uma das duas vacinas”, diz o estudo.

Vacina 

Fruto da parceria com a AstraZeneca, a vacina Covid-19 (recombinante) foi desenvolvida pela Universidade de Oxford através da plataforma tecnológica de vírus não replicante (a partir do adenovírus de chimpanzé, obtém-se um adenovírus geneticamente modificado, inofensivo ao ser humano, por meio da inserção do gene que codifica a proteína S do vírus Sars-CoV-2).

A vacina recebeu autorização condicional de comercialização ou uso de emergência em mais de 80 países em seis continentes. Mais de 500 milhões de doses foram fornecidas a 165 países em todo o mundo, incluindo mais de 100 países através do Covax Facility.

A variante Delta tem contribuído para a atual onda de infecção na Índia. Recentemente, ela substituiu a Alpha como cepa dominante na Escócia e é responsável por um significativo aumento de casos no Reino Unido. O Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas em Imunização (Sage) da Organização Mundial da Saúde (OMS) recomendou a aplicação da AstraZeneca mesmo em países onde haja a circulação de variantes.

Dúvidas sobre vacinas: 

Quanto tempo após a aplicação da vacina a pessoa desenvolve imunidade à Covid-19? Por quanto tempo fica imune?

Resposta atualizada em 07/06/2021: O intervalo recomendado entre as duas doses da Fiocruz é de três meses. A primeira dose da vacina já confere altos níveis de proteção (76% de eficácia), que duram três meses. Após esse período, com a dose de reforço, a pessoa ficará ainda mais protegida (82% de eficácia). Por isso a vacina da Fiocruz é aplicada em duas doses, com três meses de intervalo entre elas. Já a pergunta sobre o tempo que a pessoa fica imune ainda não tem resposta. Para isso, será preciso avançar nos estudos que vêm sendo feitos, uma vez que não se sabe, por exemplo, se será necessário promover campanhas anuais de vacinação.

Quantas doses da vacina Fiocruz AstraZeneca contra a Covid-19 são necessárias por pessoa? E qual o intervalo entre as doses?

Atualizado em 25/06/2021: Cada pessoa deve receber duas doses da vacina Fiocruz AstraZeneca. O intervalo entre as doses é de três meses. A primeira dose já garante altos níveis de proteção (76%). Com a srgunda dose, que não pode ser esquecida, a pessoa fica ainda mais protegida (82%).

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.