Sua obra: Como tratar e evitar trincas e fissuras?

0 209

Junho, 2019 – As trincas e fissuras são patologias muito comuns nas edificações e podem comprometer sua qualidade e durabilidade, além da aparência. “Tanto nas alvenarias quanto nas argamassas e estruturas de concreto, a fissura é originada por conta da atuação de tensões nos materiais. Quando a solicitação ou tensão é maior do que a capacidade resistente do material, a tendência de aliviar estas tensões provocam as fissuras”, explica o engenheiro Renato Sahade, diretor técnico da RS Consultoria em Revestimentos e Patologia das Construções.

As fissuras são caracterizadas de várias formas, dependendo de seu desenho formado e da variação de abertura ou fechamento. De acordo com NBR 9575:2003, as microfissuras têm abertura inferior a 0,05 mm, enquanto fissuras podem abrir até 0,5 mm, e as trincas, entre 0,5 mm e 1,0 mm. Podem ser:

• Geométricas: podem ocorrer tanto nas juntas de assentamento em estruturas de alvenaria, quanto no próprio tijolo;
• Mapeadas: são aberturas superficiais formadas, geralmente, pela retração da argamassa e com formato de “mapa”;
• Ativas: podem variar de tamanho, tendo ainda duas classificações:
o Sazonais: crescem ou diminuem de acordo com variações de temperatura e umidade;
o Progressivas: têm crescimento constante;
• Passivas: não variam de tamanho, ficando estáveis.

Casa – Paredes e muros com trincas. Divulgação

Quando é de origem estrutural, sua recuperação é mais complicada. “Uma fissura superficial, mapeada, tem recuperação mais simples”, explica Renato. Ele recomenda a aplicação de produtos flexíveis, como selantes elásticos. “É preciso abrir a fissura, fazer a limpeza, aplicar tintas especiais para fachadas, com maior capacidade de acomodar as movimentações sem fissurar, e esperar secar”, detalha.

Para tratar as fissuras já existentes, a Sto Brasil indica o Sto Flexible Crack Filler, que preenche as aberturas nas juntas das paredes. Pronto para uso e com total flexibilidade permite o movimento do substrato sem danos, além de garantir um ótimo acabamento, deixando a superfície mais bonita.

Para não se preocupar com trincas e fissuras recomendamos o sistema StoTherm o revestimento de fachadas ideal, pois seu alto desempenho e flexibilidade não permitem que as patologias apareçam e comprometam a estrutura dos edifícios. Seus benefícios são múltiplos: isolamento térmico, o que proporciona mais conforto aos habitantes, independente da intensidade da temperatura externa, e economia de gastos com aquecedores e aparelhos de ar condicionado; resistência à umidade, evitando problemas de infiltrações, mofo e bolor; ponto de orvalho fora da parede, promovendo a drenagem da fachada e conservando o interior seco; facilidade e baixo custo de manutenção, com tecnologias que preservam a superfície do acúmulo de sujeira, descamação e rachaduras; opções ilimitadas de acabamentos; alta durabilidade e sustentabilidade, economizando até 10 vezes mais água do que métodos tradicionais em sua instalação e reduzindo em 90% os resíduos sólidos da construção. Disponível em dois formatos: StoTherm Classic, para estruturas tradicionais, e StoTherm NExT, para estruturas em steel frame ou wood frame.

Fonte: Imprensa/Sto Brasil

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.