Seconci-Rio: Construção Civil do RJ na luta contra o sarampo

Controle e aplicação diária nos canteiros de obras ajudam a controlar o surto

0 270

Março, 2020 – Diante do recente surto de sarampo, a conscientização sobre a importância da vacinação nunca foi tão necessária. Em pleno 2020 o Brasil assiste perplexo ao retorno de doenças erradicadas há mais de duas décadas, alavancadas por diversos boatos que acabam por dificultar o aumento das taxas de adesão populacional às campanhas de vacinação.

Não é de hoje que o Seconci-Rio está engajado nessa luta: há 23 a entidade fechou parceria com a Secretaria Municipal de Saúde para imunizar os trabalhadores da Construção Civil contra inúmeras enfermidades. Desde 1997 já foram distribuídas mais de 500 mil doses (164.495 mil só do sarampo) em um dos públicos de dificílima adesão: o homem na idade produtiva. Diariamente o Seconci-Rio coloca uma equipe de vacinação nos canteiros de obras para fazer as aplicações e verificar as carteiras dos funcionários, contribuindo para a mitigação dos riscos e diminuição dos casos de proliferação. Hoje cerca de 300 mil trabalhadores ativos recebem esse acompanhamento, somente no Rio de Janeiro.

Para que o trabalhador da Construção Civil possa ser vacinado, ele e seus familiares devem comparecer à sede do Seconci (Rua Pará, 141 – Praça da Bandeira) de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h levando carteira de trabalho e contracheque. A intenção é somar forças junto ao Governo Federal para ajudar a baixar os índices de contágio e de surgimentos de novos casos.

SAIBA MAIS SOBRE O SARAMPO

 – Introduzida no Brasil na década de 60, a vacina é o único meio de prevenção do sarampo, que não possui tratamento e é contagiosa. A doença é transmitida por tosse e espirro, tendo como principais sintomas febre alta, coriza e olhos irritados. O sarampo, em adultos, pode trazer consequências graves, como
pneumonia, diarreia, otite aguda (infecção no ouvido), encefalite (inflamações agudas do cérebro), podendo até mesmo provocar a morte.

– Quem tem entre 1 e 29 anos e recebeu apenas uma dose, recomenda-se completar o esquema vacinal com a segunda dose;

– Quem comprovar as duas doses da vacina do sarampo, não precisa se vacinar novamente.

– Para quem não tomou nenhuma dose, perdeu o cartão ou não se lembra: De 1 a 29 anos: são necessárias duas doses; de 30 a 59 anos – apenas uma dose.

Fonte: Imprensa/Seconci-Rio

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.