Reforma da Previdência: mira no que ver e acerta no que não ver. Privilégios continuam!!!

0 175

Julho, 2019 – Uma vez aprovada, a Reforma da Previdência deixará o mercado financeiro num estado de euforia. Na contramão dessa mesmo estado de estasia, estão os mais pobres, que somam 80% dos beneficiados pelo INSS e os trabalhadores que ganham entre 1 e 3 salários mínimos. O corte para esse grupo será pesado, ou seja, terão suas aposentadorias reduzidas em até 31%. O consumo das famílias humildes será afetado profundamente. Se já está ruim do jeito que estamos, imagina nos próximos anos.

O caminho que o governo brasileiro segue é muito complicado. Vejamos: São 5 anos de crise, PIB negativo, 13,4 milhões de desempregados, 5 mil obras paralisadas, juiz chamado de ladrão por parlamentar, Operação Lava Jato sob suspeita, governo envolvido em escândalos do laranjas e milícias. É neste cenário caótico, que 513 deputados federais, estarão nesta semana, decidindo o futuro do país. Para aprovar a Reforma da Previdência basta 308 votos. Será  o  golpe final do governo a aposentadoria dos brasileiros, patrimônio nacional.

A pessoas que ganha R$ 3.000 ou R$ 1.700 terão uma perda de R$ 400 ou R$ 300, algo como uma perda de 31% da sua aposentadoria. Trabalhadores da construção civil, profissionais de limpeza, comerciários, professores, servidores públicos entre outras categorias profissionais serão atingidos. Forças Armadas, Bancos, Estados e Municípios estão fora da Reforma.

Sem uma comunicação clara e objetiva, o cidadão nem sabe o que realmente está se discutindo. Não se teve uma ação efetiva de informação por parte do governo em fazer chegar até ao cidadão boletins, cartilhas e esclarecimentos sobre a Reforma do Paulo Guedes.

Para o economista Eduardo Moreira, o governo na fobia para acabar com os privilégios do INSS, o governo vai cortar do mais pobre que são 94% dos beneficiados do INSS(Governo Federal):

“ Na proposta do governo federal, o governo define “Ricos” quem ganha R$ 2.231,00. Esses são os ricos do governo. Está inscrito na página 53, da Reforma da Previdência do governo. Isso não acaba com os privilégios. Os privilégios continuam os verdadeiros ricos, que ganham R$ 100 mil”, diz o economista..

O economista completa: ” Gente cortar R$ 100,00(cem reais) de uma pessoa pobre, faz muita diferença. Já para uma pessoa rica não faz diferença alguma”. 

Após passar pela câmara dos deputados, o texto base da Reforma segue para aprovação dos 81 senadores.

Acesse o texto do governo no link; http://www.brasil.gov.br/novaprevidencia/noticias/como-fica-a-nova-previdencia-para-quem-tem-direito-adquirido?pk_source=google&pk_medium=search&pk_campaign=nprev&pk_content=np2001

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.