Redução da taxa Selic incentiva investimentos no mercado imobiliário

0 88

Setembro, 2017 – O mercado imobiliário tem recebido, de forma positiva, os anúncios de redução da taxa básica de juros da economia brasileira. A taxa referência – Selic – caiu pela oitava vez seguida, agora de 9,25% para 8,25% ao ano, chegando ao menor índice desde outubro de 2013. O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central sinalizou claramente a intenção de reduzir o ritmo de cortes no próximo encontro, marcado para o fim de outubro. A tendência é que se aplique corte menor no próximo mês, de 0,75 ou 0,50 ponto porcentual.

Jardim-Vitória
Jardim Vitória.

Segundo Evandro Negrão de Lima Jr, presidente da My Mall, que atua há cerca de cinco anos no desenvolvimento e operação de street malls, os juros menores estimulam os investimentos no mercado imobiliário, principalmente em empreendimentos comerciais. “Quem tem disponibilidade para investir, geralmente o faz em imóvel ou em aplicação no mercado financeiro. Com as taxas de juros mais baixas, naturalmente a competição fica mais fácil de ser vencida pelo mercado imobiliário, e o mais importante é o quesito inflação, que muita gente não leva em conta. Na aplicação financeira o investidor perde a inflação e no mercado imobiliário ele ganha e isso é bastante significativo no resultado final”, avalia.

Ele alerta que o momento é oportuno para os investidores, devido às possibilidades de lucrarem com o aluguel e valorização, causada também pela trajetória descendente das taxas de juros. “No mercado imobiliário, o imóvel e o contrato de locação estão sempre sendo corrigidos, tendo seus valores acrescidos de inflação anualmente, fato que não ocorre no investimento bancário. E ainda há mais uma vantagem: os juros continuam em movimento de queda, assim as pessoas que optarem por realizar investimentos em imóveis nesse período ainda podem contar com a futura e breve valorização do bem adquirido.”

Evandro Negrão de Lima Jr._Foto W. Gontijo

Lima Jr. também destaca que, para quem quer se tornar um investidor, com a redução da taxa Selic, os financiamentos bancários ficam mais acessíveis, o que eleva o poder de compra dos consumidores. “A Selic serve como referência para as diversas taxas de juros existentes no mercado e, assim, sua redução reflete na queda das taxas praticadas em diversos instrumentos financeiros (tais como os empréstimos às pessoas físicas), estimulando o consumo e os investimentos na compra de imóveis, uma vez que os juros pagos serão menores”, detalha.

A diminuição dos juros também tende a impulsionar o lançamento de empreendimentos imobiliários a um custo mais acessível às empresas do ramo. “Como tais empreendimentos geralmente envolvem um grande montante de capital, é comum a captação de recursos por meio de empréstimos à produção ou a fundos de investimento que pagam juros a seus detentores. Assim, a queda dos juros pode viabilizar novos projetos no setor, ao passo em que diminui o custo de captação das empresas. Adicionalmente, tal benefício pode ser repassado ao consumidor final por meio de melhores condições de pagamento, aquecendo o lado da demanda”, analisa Lima Jr..

Para o empresário Eleutério Dutra dos Santos, que é investidor no mercado imobiliário em Belo Horizonte, além dos preços dos imóveis comerciais estarem reduzidos, há uma perspectiva de melhora gradual na economia e, nesse cenário, os empreendimentos oferecem uma elevada proteção para o patrimônio do investidor, além de garantir um complemento para renda. “Todos os indicadores preveem que a rentabilidade ou o lucro do investimento em imóveis comerciais serão superiores a aplicação no mercado financeiro. Claro que devemos levar em conta a escolha acertada do tipo de imóvel, localização e projeto são atrativos para formação de um excelente ponto comercial, facilitando a locação e a rentabilidade do investimento”, destaca, Santos.

Investimento em street malls

Para o empresário, os street malls continuam sendo um excelente investimento para o momento de retomada da economia. “Hoje, os street malls estão ocupando o espaço que antes eram dominados pelas pequenas lojas de rua. Esse modelo de empreendimento foi concebido dentro de uma filosofia para atender as necessidades e demandas dos  consumidores da região em que estão inseridos, geralmente, vizinhos do empreendimento que não precisam sair do bairro para realizar suas compras, uma vez que os street malls oferecem vários tipos de lojas e produtos diversificados”, avalia.

Santos destaca que os lojistas também são beneficiados, por terem condições de fixar preços mais baixos e competitivos, uma vez que as lojas estão em espaços abertos, geralmente com frente para a rua, com área para estacionamento para clientes e custo baixo de condomínio e aluguel muito inferior a shopping tradicionais.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.