Preço do minério tem forte oscilação e liga alerta de investidores no mercado de commodities

204

Maio, 2021 – O preço do minério de ferro parece estar em uma roda gigante em alta velocidade. No mercado de futuros, a commodity, que é uma das mais observadas em todo o mundo dada a sua demanda, passou por uma forte oscilação durante o mês de maio.

Desde abril os investidores assistiram a uma valorização em sequência do minério, que alcançou o recorde histórico de US$ 230 dólares a tonelada no dia 10 de maio, na bolsa de Qingdao, na China. Isso representou uma valorização do produto na casa dos 44% ao longo deste ano.

As projeções apontavam para novas altas, mas no último dia 24 essa valorização se dissolveu após a China formalizar um pedido às empresas de commodities que não aumentassem os preços dos produtos para conter as manipulações. O governo chinês alertou que as altas vistas nos mercados de minério de ferro, cobre, aço e carvão seriam irreais e puramente especulativas, e prometeu agir contra falsas valorizações.

“Foi um banho de água fria em todo o mercado internacional. E acabaram trocando o entusiasmo dos investidores por um clima de tensão em um período curto de duas semanas”, avalia Jerri Alves, superintendente do Grupo MBL, que tem forte atuação no setor de mineração.

A ação da China teve reflexo no preço da tonelada. Após a posição do país, o minério de ferro chegou a custar US$ 165 dólares na bolsa de commodities de Dalian, com entrega prevista para setembro.

Segundo Jerri Alves, as intervenções governamentais ainda devem continuar, o que pode manter o mercado instável. “Não sabemos a intensidade das próximas ofensivas do governo, que pode agir inclusive com regulações mais firmes na operação de commodities e fazer recuar ainda mais os preços. É possível que haja uma fuga de investidores para outras commodities no mesmo prazo de entrega. Até lá, esses produtos vão continuar passando por oscilações”, sugere.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.