Porteiro tem ensino básico, ganha cerca de R$ 2 mil e acredita que capacitação profissional valoriza sua atuação, diz pesquisa

197

Levantamento é do Grupo Bradesco Seguros, criador do programa “Porteiro Amigo do Idoso”, que já capacitou mais de 2,7 mil profissionais de portaria

Junho, 2017 – Porteiro  é um profissional com atuação voltada principalmente para a segurança do condomínio, possui geralmente o ensino básico e ganha cerca de R$ 2 mil. Por outro lado, os moradores acreditam que a qualificação desses profissionais – cujo Dia Nacional foi é 9 de junho – pode melhorar o atendimento nos condomínios. Essas são algumas das conclusões de dois levantamentos realizados recentemente pelo Grupo Bradesco Seguros, criador do programa “Porteiro Amigo do Idoso”, que já capacitou mais de 2,7 mil profissionais a oferecer soluções e cuidados adequados às necessidades de moradores longevos. Idealizado em 2010, a partir de pesquisa realizada pelo Grupo Segurador com moradores do bairro de Copacabana na faixa etária acima de 60 anos  – que apontou o porteiro como o “melhor amigo do idoso” –, o programa já passou por mais de 1,5 mil condomínios de 11 cidades da Região Sudeste.

De acordo com a pesquisa sobre o perfil do porteiro, que ouviu 500 pessoas, em janeiro deste ano – incluindo síndicos –, dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo, os profissionais de portaria sentem que a sua função é pouco valorizada entre os moradores, e ainda é muito focada na questão da segurança. Outro levantamento – feito no Rio de Janeiro e em São Paulo, em abril –, com o objetivo de avaliar o impacto do programa “Porteiro Amigo do Idoso” sobre os moradores dos condomínios, confirmou essa percepção. Para mais de 70%, o papel dos porteiros está associado à “segurança do condomínio” e a “abrir o portão de entrada”, seguido de “entregar encomendas” (22%), “carregar compras” (20%), “realizar pequenos reparos de infraestrutura” e “distribuir correspondências” (18%). Ainda segundo o levantamento, alguns porteiros já começaram a mudar esse cenário. De cada 10 entrevistados, quatro disseram ter feito algum curso de aperfeiçoamento.

O Grupo Bradesco Seguros também quis saber quais benefícios os moradores idosos identificaram no programa cuja metodologia de ensino, desenvolvida pelo Senac RJ, inclui uma vivência para que os porteiros aprendam a se colocar no lugar dos mais longevos. Para metade desses moradores, os porteiros passaram a mostrar mais “respeito e atenção” no relacionamento com os idosos – no Rio de Janeiro, essa proporção chega a 63%. Do total de moradores em geral, 78% afirmaram se sentir mais seguros sabendo que o condomínio possui profissionais preparados; 74% percebem que os porteiros estão mais cuidadosos com os idosos; e 72% passaram a ver a função de profissionais de portaria com mais importância.

— O programa “Porteiro Amigo do Idoso” faz parte do compromisso do Grupo Bradesco Seguros com ações que incentivem a conquista da longevidade com qualidade de vida, saúde e bem-estar. Essas pesquisas ajudam a mostrar a importância de nos prepararmos, no Brasil, para lidar com o processo de envelhecimento em todos os seus aspectos — explica Eugênio Velasques, Diretor do Grupo Bradesco Seguros.

Atualmente, no Brasil, 24 milhões de pessoas estão acima de 60 anos, o que representa quase 13% da população, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Estimativas da Organização Mundial de Saúde apontam que, em 2050, esse número chegará a 64 milhões, significando que, de cada 10 brasileiros, três serão idosos.

Mais números sobre o perfil do porteiro:

Origem: do total de porteiros que trabalham no Rio de Janeiro, 63% migraram da Região Nordeste; em São Paulo, 40% nasceram no próprio estado e 48% nasceram no Nordeste; em Minas Gerais, 85% nasceram no próprio estado.

Escolaridade:

46% – ensino médio completo, superior incompleto ou técnico;

25% – ensino fundamental completo e médio incompleto;

1% – superior completo

Renda:

60% – R$ 880,00 até R$ 2.640,00;

24% – De R$ 2.640,01 até R$ 4.400,00;

9% – acima R$ 4.400,00

Tempo médio que está na profissão: oito anos

Moram no condomínio em que trabalham: 20%

Profissionais de portaria ouvidos por:

Sexo:

87% homens

13% mulheres

Idade:

Média: 43 anos

Fonte: Imprensa/Bradesco Seguros

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.