Polêmica: Declaração Pública da Associação dos Engenheiros e Arquitetos do Metrô – AEAMESP

253

São Paulo, Dezembro, 2016 – Tendo em vista a recente veiculação na mídia, de declarações do Sr. Rafael Greca, prefeito eleito de Curitiba (PR), publicadas em 27/12/16, segundo as quais “metrô é pra toupeira… e …não é próprio do nosso tempo”, a Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Metrô – AEAMESP vem a público declarar que:

O metrô é um modo de transporte eficiente, limpo, rápido, seguro e mundialmente consagrado, especialmente adequado ao transporte urbano de grande número de passageiros.

No caso específico da cidade de Curitiba, estudos detalhados realizados por órgãos da própria Prefeitura já justificam há muito tempo a implantação de uma linha de metrô no eixo norte sul, pois a demanda de passageiros não consegue ser satisfatoriamente atendida pelas várias linhas de ônibus que nele operam;

Pode até ser que no momento não existam recursos financeiros disponíveis para construir metrô em Curitiba, mas isto não tem qualquer relação com “toupeirice” ou anacronismo;

Garantir a mobilidade urbana, preservando o meio ambiente e a saúde humana é o grande desafio que os gestores públicos têm para o setor de transporte, independentemente do porte de suas cidades;

No mundo, está mais do que comprovado que as cidades que optaram por resolver seus problemas de mobilidade utilizando meios de transportes não motorizados e coletivos sobre trilhos, conseguiram revitalizar regiões degradadas em seus centros urbanos, não agrediram o meio ambiente e produziram níveis de qualidade de vida melhores para seus cidadãos ao reduzir, ainda mais, os níveis de poluição e consequentemente o de doenças respiratórias;

A sociedade não pode mais admitir que ao se adotar uma solução de transporte, ela somente resolva o atendimento aos fluxos de demandas. A solução deve considerar atributos de serviço, tais como conforto, segurança, rapidez, eficiência e ser parte de um plano de desenvolvimento urbano, decorrente da integração das políticas de uso e ocupação do solo, de trânsito e emprego. A solução deve levar também em consideração os aspectos ambientais, ao utilizar fontes renováveis de energia e adotar tecnologias que ofereçam maior rendimento energético;

Solução ideal é aquela que propicia as maiores contribuições ou benefícios econômicos e socioambientais e que além de diminuir os tempos das viagens promove melhorias no entorno urbano e na circulação do trânsito;

Neste aspecto, os sistemas sobre trilhos têm uma grande contribuição a dar para as cidades, por torná-las cada vez mais competitivas e ao mesmo tempo mais humanas para os seus cidadãos.

DIRETORIA DA AEAMESP

São Paulo, 29 de dezembro de 2016

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.