Perda do Auxílio Emergencial afeta brasileiros em cheio: no Rio de Janeiro, a perda do poder de compra atingiu 57,4% (ago/dez de 2020)

Estudo do Bons Investimentos mostra que a capital de RJ foi a 5ª que mais perdeu poder de compra do Auxílio Emergencial do momento em que o benefício foi reduzido, em agosto, até dezembro.

252

Janeiro, 2021 – A inflação nos preços dos alimentos somada à redução do benefício de R$600 para R$300 fez com que o poder de compra de itens básicos, como alimentos, fosse deteriorado. Em análise dos dados do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), órgão que analisa dados de cestas básicas todos os meses, foi constatado que a capital do estado de RJ é a  que mais perdeu poder de compra entre as 17 capitais analisadas.

Abaixo, progressão dos valores da cesta básica e quantas cestas era possível comprar com uma parcela de Auxílio Emergencial:

  • Ago/2020: 1,13 cestas básicas com preço de R$ 530 (Benefício de R$600)
  • Set/2020: 0,53 cestas básicas com preço de R$ 564 (Benefício de R$300)
  • Out/2020: 0,51 cestas básicas com preço de R$ 592 (Benefício de R$300)
  • Nov/2020: 0,48 cestas básicas com preço de R$ 630 (Benefício de R$300)
  • Dez/2020: 0,48 cestas básicas com preço de R$ 621 (Benefício de R$300)

 

Com a redução de 50% do benefício de R$600 para R$300 e com o aumento dos preços da cesta básica no período analisado, de R$ 530 para R$ 621, equivalente a 17,2%, a capital Rio de Janeiro perde 57,4% de poder de compra com o valor do Auxílio Emergencial de agosto a dezembro de 2020.

No estudo completo, é possível visualizar um infográfico interativo com os dados atualizados.
Abaixo, duas imagens estáticas com as informações apresentadas, assim como trecho da matéria original.

Fonte: bonsinvestimentos.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.