Os desafios do E-Social

0 97

Rio, Dezembro, 2017 – Novos processos organizacionais e estruturação financeira são condutas que permeiam a chegada do E-Social. A afirmação foi do especialista em desenvolvimento industrial da CNI, Gustavo Nicolai, durante o Café Legal, organizado pelo Seconci-Rio, na manhã da última quinta-feira (07), para representantes das empresas do setor de construção civil. O executivo falou sobre os desafios para a implantação deste sistema de escrituração digital, que passará a ser obrigatório, a partir do ano que vem.

E-Social foi tema de debate no Seconci-Rio. Divulgação

De acordo com ele, as micro e pequenas empresas do setor serão as mais impactadas. “O desafio será cumprir a legislação nas áreas previdenciária, trabalhista e de saúde e segurança do trabalho, tal qual uma grande empresa. Para cumprimento dessas obrigações será preciso investimento, o que pode ser uma dificuldade a ser enfrentada”, destacou Nicolai, que aconselha a busca por apoio técnico, junto aos Seconci´s e ao SESI, por exemplo, para que essas empresas recebam orientação quanto a melhor forma de encaminhamento das obrigações impostas pelo E-Social.

Ainda que o Sistema esteja chegando rodeado de dúvidas e medos, Nicolai afirma que trará vantagens para as empresas, no que diz respeito à organização e padronização de procedimentos, o que mudará a cultura empresarial e também trará melhorias para os trabalhadores. “O E-Social irá eliminar redundâncias, com a conjunção de informações geradas para o Governo, simplificando os processos; e irá centralizar as obrigações previdenciárias e trabalhistas em um ambiente só, além de outros benefícios”, disse ele.

Fechando a palestra, o executivo da CNI destacou que está mais do que na hora de as empresas reverem seus processos organizacionais e habilitarem profissionais para trabalhar e entender o E-Social. Sobre o futuro com esse novo sistema em funcionamento foi categórico:

“Vivemos uma dicotomia. Sempre batalhamos para que as empresas cumprissem toda legislação de saúde e segurança do trabalho e o E-Social trará isso, mas sabemos que o lado operacional pode vir a ser um obstáculo para alguns”, concluiu.

Sobre o E-SOCIAL

O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas, também conhecido E-Social, foi criado para unificar o envio de informações, pelo empregador, ao Governo, em relação aos seus empregados. Instituído por decreto, em dezembro de 2014, o sistema padroniza a transmissão, validação, armazenamento e distribuição de dados referentes às obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas dos funcionários.

De acordo com a norma, o E-Social será obrigatório, a partir de 1º de janeiro de 2018, para empregadores e contribuintes com faturamento acima de R$78 milhões, no ano de 2016. Em 1º de julho de 2018, a obrigatoriedade passa para os demais empregadores e contribuintes.–

Fonte: Imprensa/Seconci-Rio

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.