Mercado: Empresa catarinense tem modelo de negócio baseado na economia circular

0 104

A Santa Luzia, marca com 75 anos de história,  líder no mercado e conhecida por apresentar produtos e conceitos de design, que unem praticidade, durabilidade e preocupação com meio ambiente e hoje é uma das principais fabricantes de produtos voltados a construção civil, arquitetura e decoração interna e externa inova ao criar modelo de negócio focado na economica circular. 

Outubro, 2017 – O que para muitos é lixo e sem utilidade para Santa Luzia é matéria-prima. A marca em meados de 2002 desenvolveu um processo que culminou na substituição de cerca de 98% da madeira utilizada na fábrica. Por meio da reciclagem do EPS (Poliestireno Expandido), popularmente conhecido como Isopor, a empresa revolucionou sua produção.

A Santa Luzia inova no mercado ao aliar sua expertise artesanal em molduraria com processos industriais inovadores de reciclagem de resíduos. Divulgação

As características do EPS, um plástico muito leve, com um processo de fabricação que consome pouca energia e gera pouquíssimos resíduos sólidos e líquidos fazem desse material fundamental em segmentos da economia na área alimentícia, construção civil, médico-hospitalar, veterinária, eletroeletrônica, automotiva, agronegócios, entre outros.

O EPS cada vez mais, é associado a vários hábitos de consumo, e normalmente acaba indo para o lixo comum. A Santa Luzia vê na economia circular, novo modelo proposto em que o ciclo de vida do produto se torna mais longo e quando descartado serve de matéria-prima para fabricação de novos produtos uma realidade, e por isso decidiu apostar na reciclagem desse material.

O ciclo do bem se inicia com a coleta do material, que é enviado por cooperativas de reciclagem onde é feita a triagem. O EPS é compactado em uma máquina que retira todo ar do produto, que equivale a 98% do volume do produto. Isso, traz viabilidade econômica tanto na captação quanto no transporte.

CASA VERMELHA
Casa Cor Paraná -Arquit.Viviane Busch. Foto: Lio Simas

A partir dessa compactação, que transforma o EPS em matéria-prima novamente, a empresa produz perfis, molduras, revestimentos de pisos e paredes, com foco em alto padrão de qualidade, durabilidade, e na minimização de impactos no meio ambiente.

A Santa Luzia apoia a inclusão de cooperativas de catadores na coleta seletiva urbana, ajuda na capacitação dos cooperados visando o aumento do setor reciclador nacional e principalmente sustenta o incremento das ações de educação ambiental, em prol da reciclagem. Por meio de parcerias com várias empresas dos mais variados segmentos, a Santa Luzia dá o destino correto para cerca de 10% dos Poliestireno e Poliuretano produzido no Brasil.

O meio ambiente precisa que a reciclagem do EPS continue crescendo, a adesão da população e das cooperativas é essencial. O principal entrave é a falta de informação sobre a reciclagem do material, e consequentemente seu descarte incorreto.

Para mais informações acesse em www.industriasantaluzia.com.br

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.