Maricá: Governo e moradores vão recuperar imóvel em São José do Imbassaí

0 158

Setembro, 2017 – Uma parceria entre as secretarias de Trabalho e de Habitação e Assentamentos Humanos de Maricá realizou uma ação na comunidade do Mutirão, em São José do Imbassaí. Alunos dos cursos de qualificação profissional do polo de Itaipuaçu foram à localidade e fizeram um estudo das patologias construtivas (quando uma edificação é feita por populares, sem a participação de um engenheiro ou arquiteto).

Prefeitura de Maricá e moradores vão recuperar imóvel em São José do Imbassaí. Crédito das fotos: Katito Carvalho

O primeiro local avaliado foi um galpão onde funcionou a associação de moradores. Os estudantes dos cursos de Pintor de Obras e Aplicador de Dry Wall fizeram um levantamento das necessidades estruturais do imóvel, que foi inteiramente limpo antes por uma equipe da Secretaria de Conservação. A proposta e reformar o espaço com a ajuda da comunidade.

De acordo com o engenheiro civil Bruno Marins, que coordenou a equipe da Habitação, a recuperação do local deve começar ainda neste mês. “Vamos nos reunir com os moradores já na semana que vem para alinhar a participação deles. O que queremos é recuperar esse local para que ele funcione como um centro comunitário. Será um projeto piloto para o programa Reforma Solidária, que vamos lançar em breve”, projetou o engenheiro, lembrando que a área e uma das que passa pelo processo de regularização fundiária, como outras diversas regiões do município. A subsecretaria de Trabalho, Arilda Rocha, disse que o trabalho no local será inteiramente voluntário. “Teremos ajuda de alguns alunos dos nossos cursos e contamos com a participação da comunidade”, reforçou.

Uma das moradoras que ajudou a erguer a comunidade foi ao prédio onde estava a equipe para ter mais informações e se mostrou animada com a intervenção do governo municipal. “Tudo aqui foi feito por todos os moradores, por isso a comunidade se chama Mutirão. Tem muita coisa precisando melhorar e queremos ajudar no que for preciso”, afirmou a dona de casa Fátima Regina Araujo, que tem 62 anos e vive há 28 no bairro.

Fonte: Ascom/Maricá-RJ

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.