Mariana: FENAM finaliza coleta de amostras do desastre ambiental no Rio Doce

224

Médicos suspeitam que o contato com a água, mesmo tratada, pode provocar o aparecimento de doenças, em longo prazo

Cercado de incertezas sobre a qualidade da água fornecida à população após o rompimento da barragem da Samarco, a Federação Nacional dos Médicos (FENAM) finalizou nesta sexta-feira (18), em Governador Valadares (MG), a coleta de amostras da água e do solo do Rio Doce, atingido pelos rejeitos de minério.

FENAM I 23185185014_587c478ed5_o
Médicos da FENAM acompanharam o trabalho dos biólogos no município de Governador Valadares(MG), na sexta-feira(18). Créditos: FENAM

Os médicos da FENAM acompanharam o trabalho dos biólogos no município e alertou à população que o contato com a água do Rio Doce pode provocar, em longo prazo, o aparecimento de doenças neurológicas, na pele, no aparelho digestivo e intestinal, câncer, má formação de bebês, entre outras. A suspeita é que mesmo após o tratamento da água, ela continue a oferecer riscos por conta do excesso de minérios.

As 10 amostras foram coletas durante três dias de acordo com normas internacionais e nacionais pelo laboratório independente Água Terra. Um dos pontos de coleta foi no local onde é feita a captação da água pela companhia de abastecimento da cidade, e em escolas onde o fornecimento da água já foi restabelecido. A abrangência da ação é 1.424 quilômetros.

Durante a visita ao leito do Rio, o presidente da FENAM, Otto Baptista, destacou que a população está sendo colocada em risco devido a alta concentração de minérios na água. “Visitei o Bairro Vitória em Governador Valadares. Muitos moradores relataram alergia na pele após tomar banho com a água “tratada”, feridas na pele, diarreia, aumento na pressão arterial, entre outros problemas de saúde. A população está com medo e é preocupante o consumo desta água”, alertou.

O relatório final com os dados sobre a composição da água e o impacto na saúde pelo contato e ingestão será divulgado em 90 dias.

Fonte: Assessoria de Imprensa Federação Nacional dos Médicos (FENAM)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.