Indústria da construção latino-americana crescerá 9,7% em 2021 e 5,6% em 2022, afirma GlobalData

151

Julho, 2021 – A indústria de construção da América Latina agora deve crescer 9,7% em 2021 e 5,6% em 2022 (7,7% e 5,1% anteriormente) devido à atividade de construção acima do esperado no primeiro trimestre de 2021, especialmente em países como o Brasil, Argentina, Colômbia e Peru, onde as autoridades públicas continuam a lutar para conter as infecções por COVID-19, afirma a GlobalData, uma empresa líder de dados e análises. As projeções positivas também refletem efeitos de base favoráveis.

O relatório da empresa, ‘ Global Construction Outlook to 2025 (Q2 2021 Update) ‘, afirma que durante o restante do período de previsão (2023–2025), o crescimento da indústria está previsto para moderar a uma média anual de 3,1%, com construção A produção na região agora deverá retornar ao seu nível pré-pandêmico em 2023.

Dariana Tani, economista da GlobalData, comenta: “Apesar do aumento contínuo dos casos COVID-19, a indústria de construção da América Latina parece estar se beneficiando de uma recuperação mais rápida do que o esperado na economia da região como efeito de contágio dos recentes pacotes de estímulo dos EUA, e o crescimento robusto na China estão fortalecendo as condições econômicas globais e levando a preços mais altos das commodities.

“No entanto, a contínua escassez e aumento no preço dos materiais de construção devido a problemas da cadeia de abastecimento global, combinada com as dificuldades na obtenção de licenças de construção, atrasos na aprovação de orçamentos e ineficiência na execução de obras públicas continuam a ser grandes riscos negativos para as perspectivas de curto prazo do setor. “

As fragilidades pré-COVID da América Latina, que foram agravadas pela pandemia, incluindo questões de dívida pública, burocracia excessiva e crescentes tensões políticas e sociais em meio ao aumento da inflação e aumento dos níveis de desemprego e pobreza, provavelmente continuarão a conter o investimento estrangeiro e privado na indústria nos próximos anos.

Tani acrescenta: “A indústria da construção na América Latina começou a se recuperar no segundo semestre de 2020 graças em grande parte ao relaxamento das restrições relacionadas à pandemia, mas ao ressurgimento dos casos de COVID-19 e ao início lento das vacinações contra o vírus ( com exceção do Chile e do Uruguai) apresentam desafios adicionais para as perspectivas de curto prazo do setor. Por exemplo, é provável que as restrições às viagens e à atividade econômica permanecerão em vigor de alguma forma no segundo semestre deste ano em alguns países em a fim de aliviar a pressão sobre o sistema de saúde. “

Fonte: GlobalData

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.