Governo reafirma conclusão das obras do Projeto São Francisco em dezembro

453

Brasília-DF, 10/6/2016 – O objetivo do governo federal é dar funcionalidade ao Projeto de Integração do Rio São Francisco e fazer a água chegar o quanto antes às torneiras das casas e às plantações de quem quer produzir, beneficiando 12 milhões de brasileiros da região do semiárido nordestino.

A declaração é do ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, durante sua primeira visita às obras do São Francisco, nesta sexta-feira (10). Ao chegar a Juazeiro do Norte, no Ceará, o ministro voltou a afirmar que as obras físicas do Projeto serão entregues em dezembro e a partir de então os reservatórios serão gradativamente enchidos, enquanto obras complementares, em parceria com os estados, serão executadas, fazendo chegar água à população.

“Determinamos às construtoras que ampliem ao máximo a capacidade de execução das obras para que cumpramos o prazo dado pelo presidente Michel Temer”, frisou o ministro. Helder Barbalho lembrou que, na média, essa ampliação de produtividade será de 42%. “Dessa forma, a água poderá contribuir com o abastecimento dos reservatórios de Orós e também do Castanhão, com repercussão imediata nas áreas com maior densidade populacional do estado do Ceará”, explicou.

O ministro reconheceu que o governo vem fazendo repasses aos estados muito aquém do necessário para a execução das obras complementares. “Nossa intenção é ampliar isso”, afirmou, destacando já ter levado aos governos estaduais a necessidade de apresentação de um plano de ações para garantir o desembolso de recursos. “Contudo, é preciso que esse plano apresente funcionalidade para que as cidades, o mais rapidamente possível, sejam abastecidas e a população seja atendida”.

Helder Barbalho também admitiu haver estudos para a interligação das bacias do São Francisco e do Araguaia-Tocantins visando a abastecer os canais o Projeto de Integração.

Vistoria

A agenda de inspeção às obras, nesta sexta-feira (10), inclui pontos estratégicos do Eixo Norte do Projeto: o túnel Cuncas 1, em São José de Piranhas (PB); a barragem de Jati, no município cearense de mesmo nome; e a primeira estação de bombeamento (EBI-1), em Cabrobó (PE). O ministro também sobrevoa os 260 quilômetros do eixo e conhece de perto como vivem as 120 famílias reassentadas na vila produtiva rural Cacaré, em São José de Piranhas.    

No sábado (11) a comitiva segue para o Eixo Leste, que tem 217 quilômetros de extensão e, quando concluído, levará água aos estados de Pernambuco e Paraíba. Campina Grande, por exemplo, será uma das cidades beneficiadas.

O primeiro ponto de visita será o túnel Engenheiro Giancarlo de Lins Cavalcanti, em Monteiro (PB). Após sobrevoar todo o eixo, o grupo inspeciona as atividades de duas estações de bombeamento (EBV-1 e 3), ambas em Floresta (PE). O ministro também realiza uma visita técnica à barragem Areias e ao canal de aproximação, situados no mesmo município. A agenda será finalizada com um sobrevoo ao Canal do Sertão Alagoano, empreendimento executado pelo governo de Alagoas com investimentos federais.

O Projeto São Francisco vai garantir o abastecimento constante de água a uma população de 12 milhões de pessoas em 390 municípios dos estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte, que possuem períodos cíclicos de estiagem.

Eixo Norte

Localizado no final do Eixo Norte, o Cuncas 1 é considerado o maior túnel da América Latina para transporte de água, com 15 quilômetros de extensão e nove metros de altura e largura. A estrutura será responsável por conduzir a água do rio São Francisco entre o Ceará e a Paraíba, passando pelos municípios de Mauriti (CE), Barro (CE), Monte Horebe (PB) e São José de Piranhas (PB).

A barragem Jati, localizada no município homônimo, compõe um trecho do empreendimento que inclui a construção de seis reservatórios e a ampliação do açude Atalho. Ela vai disponibilizar água do São Francisco para o Cinturão das Águas do Ceará (CAC), que atenderá a região do Cariri cearense. O CAC é uma obra executada pelo Governo do Estado com apoio financeiro da União.

O Projeto de Integração do Rio São Francisco capta a água do manancial em Cabrobó (PE) e, pelo canal de aproximação, faz chegar até a primeira estação de bombeamento (EBI-1) do Eixo Norte. A estrutura eleva a água em 36 metros, altura equivalente a um edifício de 12 andares. De lá, segue por gravidade até a segunda estação (EBI-2) do eixo, num trajeto de 51,6 quilômetros.

Fonte: Assessoria de Comunicação Social do Ministério da Integração Nacional 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.