Gerenciamento de unidades: por que as empresas têm aderido a esse novo modelo de negócio?

217

Por Mayara Bezerra, Gerente de Operações do Nosso Estúdio

Julho, 2020 – Quando falamos de obra não é possível citar um período que seja mais ou menos turbulento. Entretanto, quando se trata da fase final, todos concordamos que é esse o período em que a equipe da construtora está mais sobrecarregada de responsabilidades. Convenhamos que prazos apertados e equipe técnica reduzida não combinam com qualidade no produto final e satisfação do cliente. Erros cometidos nessa etapa são difíceis de serem contornados sem comprometer diretamente as datas limites. Durante o estágio final, o planejamento de anos pode ir por água abaixo, seja por atrasos que trazem custos altíssimos a construtora ou pela má qualidade na entrega do produto ao cliente final ao proprietário. A verdade é que uma ajuda nesse momento é muito bem-vinda.

Nosso Estúdio

No decorrer do período final da obra, a equipe da construtora divide-se entre atender as normas da ABNT, Habite-se, áreas comuns e torre: hall, área técnica, unidades (essa muitas vezes em dezenas, centenas, em modelo padrão ou modificado). Além disso, é comum que a equipe de fundação e estrutura já tenha sido trocada, deslocada e até mesmo desligada, devido a movimentação natural da construtoras e/ou custos. Então, a nova equipe se vê diante do desafio de mais atividades, que horas do dia. Seja engenheiro, mestre ou estagiário, independente de unidades padrão ou modificadas, é necessário um acompanhamento constante, seja pelo ritmo de instalações ou da equipe, para que tudo siga o percurso da conclusão e entrega.

Por conta da elevada demanda, equipe reduzida, prazos e demais aspectos pertinentes a essa etapa, é possível identificarmos altos níveis de estresse e uma equipe desestimulada. A partir disso, percebemos baixo desempenho dos prestadores de serviço, conflitos internos, novas contratações sem o devido treinamento e preços incompatíveis com o serviço prestado. Com base nessa realidade, a empresa Nosso Estúdio tem implantado um novo modelo de negócio nas construtoras em São Paulo que promete mudar o cenário atual em todo o Brasil. A agência é composta por uma equipe de profissionais com mais de nove anos de experiência, 15 empreendimentos e mais de 3000 unidades entregues em todo o país. A Nosso Estúdio traz um produto inovador que entrega velocidade, qualidade técnica, equipe harmônica e garantia de satisfação do cliente final.

Na primeira etapa do plano de negócio fazemos a primeira vistoria com a produção de relatório através de aplicativo. Também incluímos fotos e descrição das pendências a serem revisadas para levantamento, planejamento de materiais e equipes de revisão. Na segunda etapa, gerenciamos a execução com as equipes de revisão e garantimos o padrão de qualidade em todas as unidades. É feito o acompanhamento diário até a finalização da obra. Já no terceiro momento, nossa equipe faz a vistoria final e disponibiliza semanalmente as unidades prontas para agendamento com o cliente através no CRM (Central de Relacionamento com o Cliente), conforme necessidade da construtora para atendimento da AGI (Assembleia Geral de Instalação).

Em virtude do olhar crítico, planejamento coeso, execução agressiva, foco nos prazos, o gerenciamento de equipes de revisão e unidades autônomas tem propiciado satisfação da equipe da obra. Esse grupo, a partir do início das nossas atividades é deslocado à outras tarefas pertinentes à conclusão e melhores resultados. A cada dia temos unidades melhor revisadas, com maior qualidade para o momento da vistoria com os clientes.

Neste ponto, temos a cereja do bolo: A vistoria com o cliente final e o lacre da unidade. Com uma equipe técnica altamente capacitada, domínio do produto, apartamentos revisados e um toque de carisma, recepcionamos os futuros moradores para uma experiência inesquecível no novo lar. Após a vistoria, lacramos a unidade, com foco total – de acordo com a necessidade da obra – na liberação da para a AGI.

Por fim, podemos citar alguns dos pontos mais interessantes do Gerenciamento de unidades: 1. Alcançamos redução do índice de revistoria. Graças ao nosso olhar externo, específico nesse serviço. 2. Redução do prazo do mestre de obras e/ou encarregados durante a fase de conclusão de obra. Sendo possível direcioná-los às demais áreas do empreendimento; 3. conquistamos a redução de custo com a equipe de obra e a despreocupação com relatórios finais, check list e documentos específicos desta fase. A partir deste modelo, há também a 4. valorização da imagem da construtora, porque priorizamos em utilizar nosso time como estratégia de zelo e cuidado, levada a cada atendimento ao cliente final. Assim concluímos nossa receita para o sucesso do projeto, com prazos atendidos e cliente final satisfeito.

A seguir, gráficos comparativos entre os serviços realizados numa única construtora:
Entregas realizadas 100% pela NE
Unidades – 152
Prazo – 4 meses (janeiro a abril)

Entregas realizadas 50% pela NE e 50 % pela concorrente

Unidades – 136

Prazo – 3 meses (abril a junho)

Entregas realizadas 100% pela construtora

Unidades – 280

Prazo – 6 meses (janeiro a junho)

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.