Famigerado Orçamento de 2021 sofre cortes de R$19 bilhões: Educação, Saúde,”COVID-19″ ,Desenvolvimento Regional, Infraestrutura, Defesa e Meio Ambiente são os mais prejudicados.

Verbas parlamentares são mantidas em R$ 15 bilhões, para agradar aliados do governo.

206

Abril, 2021 – Pensando apenas no mercado financeiro e nas Emendas Parlamentares, Paulo Guedes e Bolsonaro, aprontaram mais uma para o Brasil: passaram o facão no famigerado Orçamento de 2021, são menos R$ 19 bilhões diretos na economia neste momento de incertezas políticas e econômicas ocasionado  pela continuidade da pandemia do Covid-19. O governo federal pega o caminho contrário da saída da crise pós pandemia. Vejamos:

Divulgação

– Entre os cortes de recursos que chamam atenção, temos: Ministério da Saúde, que perde R$ 2 bilhões, inclusive afetando verbas para o combate ao Covid-19, inclusive compra de vacinas. De acordo com o Consórcio de Imprensa, 370 mil pessoas já morreram no Brasil em decorrência da pandemia. A situação é preocupante. Outro problema ocorre na pasta da Educação, Paulo Guedes cortou mais de R$ 1 bilhão,  O ensino já sofre com o isolamento social e, com a falta de acesso à Internet para 70% dos alunos da Rede Pública, agora o país poderá fechar vários ciclos escolares – , está tudo fora de orbita.

Na busca mundial para sair da crise, o mundo passou a investir pesadamente no setor de infraestrutura. Mesmo assim, Guedes, não seguiu a cartilha do FMI(Fundo Monetário Internacional) é, olha o setor da Infraestrutura com desdém. É dinheiro gasto em poucas empresas, afirmou Guedes durante evento  da Construção em 2019.

Então, o que fez o sábio da economia do governo Bolsonaro, tirou do Desenvolvimento Regional quase R$ 9 bilhões, e não satisfeito abocanhou outros quase R$ 3 bilhões, do Ministério da Infraestrutura. Uma tragédia. ” Com o veto, que praticamente zera as despesas que estavam reservadas ao Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), serão paralisadas as obras de 250 mil casas que hoje estão em construção no país. O montante emprega diretamente em torno de 250 mil pessoas e outras 500 mil entre empregos indiretos e induzidos”, diz a CBIC em nota.

Ministério da Defesa, perdeu R$ 1,8  bilhão Em relação ao meio ambiente, o futuro continuará péssimo. O Órgão Federal terá R$ 239 milhões a menos da sua minguada verba anual. No que se diz respeito ao Ministério da Agricultura, o corte atingiu R$ 875,5 milhões ou melhor, os Agricultores Familiares ficarão sem dinheiro para suas atividades agrícolas. O Agro é POP !

Para finalizar, o Censo Demográfico de 2020, orçado em R$ 2 bilhões foi cancelado. O Governo Federal alegou que não tem recursos. O Bloco Parlamentar do Centrão saiu com R$ 15 bilhões para fazerem  suas benesses. Do Orçamento Federal prevê para este ano, uma receitas da ordem de R$ 4,18 trilhões e despesas de R$ 4,3 trilhões. Após grande impasse com o Congresso nas últimas semanas, o presidente Jair Bolsonaro, finalmente sancionou nesta quinta-feira, último dia do prazo, a Lei Orçamentária Anual (LOA) de 2021 com vetos parciais.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.