Estação de tratamento de água do projeto de expansão da Fibria é concluída em Três Lagoas (MS)

201

O projeto, desenvolvido pela Veolia Water Technologies, envolve também as estações de tratamento de efluentes e de água para caldeira, que já estão em operação parcial

Junho, 2017 – A construção da Estação de Tratamento de Água da segunda linha de produção da Fibria, líder global na produção de celulose, em Três Lagoas (MS), chamado de Projeto Horizonte 2, já foi concluída. O projeto desenvolvido teve início em agosto de 2015, resultado de um contrato assinado entre a companhia e a Veolia Water Technologies. Além da ETA, a nova linha de produção prevê o funcionamento de uma Estação de Tratamento de Efluentes e de uma Estação de Tratamento de Água para Caldeira, que aguardam o início da operação da fábrica em setembro para entrarem em funcionamento com toda a capacidade.

FIBRIA
Estação de tratamento de água do projeto de expansão da Fibria.

A ETA está em operação parcial desde fevereiro, quando as atividades de construção, montagem e comissionamento para operação parcial foram concluídas. A mesma utiliza o processo ACTIFLO, que recebe a dosagem de micro-areia para acelerar o processo de floculação e decantação. Já a Estação de Tratamento de Efluentes está apta apenas para a fase de início da inoculação da micro-biologia. O sistema MBBR, utilizado na ETE, proporciona melhor resistência aos choques por efluentes contaminados e recuperação mais rápida quando comparado com plantas de lodo ativado convencional.

“O objetivo junto ao setor de celulose é consolidar a empresa como principal fornecedor de soluções para tratamento de águas e efluentes. O projeto desenvolvido para a Fibria já é uma referência para outros contratos dentro do cenário global e é mais um passo para que isso se concretize”, afirma Edson Rodes, engenheiro de projetos da Veolia Water Technologies.

De acordo com Rodes, os grandes tanques circulares de concreto, foram construídos a partir de placas pré-moldadas que foram montadas em campo, solidarizadas com uma concretagem local e, finalmente, protendidas por uma cordoalha de aço. “Os grandes benefícios desta escolha estão relacionados com a qualidade das estruturas, prazo de construção e um efetivo menor de mão de obra direta pela construtora”, completa o engenheiro.

A estação de tratamento de água para caldeira (ETAC) está em operação parcial (1/3 da capacidade da planta) desde março, sendo que a finalização da montagem e do comissionamento estão previstas para o final de junho. A ETAC é equipada com um sistema de osmose reversa seguido por polimento em trocadores aniônicos de leito misto.

As três unidades de tratamento foram desenvolvidas em conformidade com as normas ambientais e os mais rigorosos padrões de qualidade e serão equipadas com processos conhecidos por fornecer alta eficiência, reduzida construção civil, robustez e a confiabilidade necessária para o projeto. A Veolia Water Technologies estima que a construção tenha sua conclusão contratual já no terceiro trimestre deste ano, com as plantas comissionadas e operando.

Acesse: www.veolia.com 

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.