Energias Renováveis fecham 2017 com leilões. Procura por investimentos no setor eólico e solar são os destaques.

0 125

Por Pablo Marlon 

Rumo ao futuro, fontes renováveis(eólica, biomassa, solar e pequenas centrais hidrelétricas) vão ditar as regras da matriz energética nacional nos próximos anos.  

Rio, Outubro, 2017 – Os ganhos com as energias renováveis no Brasil podem trazer soluções econômicas bastante significativas para diversas regiões do país.  A solução para um preço mais baixo existe e está em outras formas de gerar energia. Historicamente, a energia que os brasileiros consomem vem de matrizes de energia hidrelétricas logo, o investimento é muito grande e sem contar com a escassez das fontes fluviais.

Mas há solução? Existe. É mais barato? Sim. E onde estão os meios? Nas fontes renováveis(eólica, biomassa, solar e pequenas centrais hidrelétricas). 

UEE- Praias de Parajuru – CE. Créditos: CERNE

No caso da Solar e Eólica, ambas são fartas no país. Segundo dados da ABEÉOLICA (Ass. Brasileira de Energia Eólica), em seu boletim anual de 2106, diz que o Brasil, possui um dos melhores ventos do mundo. “O fator de capacidade médio da fonte eólica no Brasil foi de 40, 7% no ano passado. Este é um resultado bem acima da média mundial, que gira acerca de 25%”, diz Elbia Gannoum presidente executiva da ABEEólica.

Se as novas fontes de energia vêm dos ventos e do sol e, é de graça, então por que não produzir energia da natureza? Nada melhor. Pois, produz melhores custos benefícios nas tarifas de energia. Quem não dormiu no ponto foi a região Nordeste. Essa parte do país é responsável por mais da metade das usinas de energia limpa que abastecem milhões de residências. Os parques eólicos trouxeram benefícios e ganhos para esta região. O Nordeste ficou independente. Devido a queimadas ficavam prejudicados com apagões por serem importadores de energia de outros estados. 

Para o final deste ano, o setor espera com grande expectativa o leilão, capaz de produzir um instrumento de política energética e, principalmente capaz de desenvolver economicamente e socialmente diversos estados do nordeste brasileiro.

E a boa nova é que segundo o site de EPE (Empresa de Pesquisa Energética), do Ministério de Minas e Energia, no dia 06/10, foi dada a largada para o tão esperado Leilão de Energia renovável. Por meio da portaria de nº 293, de 4 de agosto de 2017, estão previsto para serem realizados 2 Leilões: o primeiro “ A-4” – eólica, biomassa, solar e pequenas centrais hidrelétricas-, e “A-6” – eólicas, hidrelétricas e termelétricas a gás, carvão e biomassa.

Os Leilões de Energia Nova estão previstos para serem realizados em 18 e 20 de dezembro deste ano ainda.

O único ponto negativo dos leilões fica por conta da retira da energia solar fotovoltaica da 2ª rodada de leilões. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.