Encontro discute manutenção de edificações, legislação e atividades da indústria da impermeabilização

0 82

Rio, Outubro, 2017 – Nos últimos dias 25 e 26 de outubro, representantes do setor se reuniram na oitava edição do seminário sobre impermeabilização. Com 20 painéis de discussão, o encontro abordou temas de relevância para o setor, como a importância da manutenção nas edificações e temas ligados à legislação do segmento. O evento foi promovido pela Associação das Empresas de Impermeabilização (AEI) do Estado do Rio de Janeiro e pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil no Estado do Rio (Sinduscon-RJ).

Um dos palestrantes do seminário, o coordenador de planejamento da Secretaria Municipal de Urbanismo do Rio, Luis Gabriel Denadai, falou sobre o novo código de obra, que está em apreciação na Câmara dos Vereadores do Rio. “Nessa segunda-feira (23/10), foi para a Câmara o novo código de obras, uma versão bastante reduzida. Atualmente a legislação vigente tem algo em torno de 600 itens. A nova proposta terá maior flexibilidade, facilitando as regras para o setor de construção e, consequentemente, para o mercado de impermeabilização”, explicou.

O economista Luis Fernando Mendes, da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), analisou a atual conjuntura econômica e afirmou que a principal saída para a crise é a recuperação da indústria da construção, com a retomada de projetos e geração de postos de trabalho.

Entre as surpresas do evento, a presença do ex-jogador da Seleção Brasileira e tetracampeão mundial Jorginho mereceu destaque. Ele apresentou ao público do evento seu Instituto Bola Pra Frente, que, desde o ano 2000, vem utilizando o esporte como ferramenta para o desenvolvimento social, em comunidades socialmente vulneráveis dos bairros de Guadalupe e Deodoro, na Zona Norte do Rio. A ideia era divulgar a ação e chamar a atenção para a necessidade de gerar oportunidades para os jovens no mercado em diferentes áreas.

Além disso, foram tratados assuntos ligados aos avanços tecnológicos e técnicos sobre o sistema de impermeabilização e suas várias etapas. Questões como tecnologias em injeção de fissuras, aderência para mantas asfálticas, manutenção e ciclo de vida das coberturas, concretos auto cicatrizantes, sistema de injeção de resinas, entre outros.  De acordo com a Associação, a proposta é dar visibilidade ao tema.

Fonte: Imprensa/ AEI

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.