Empresa líder no setor de máquinas pesadas para construção civil amplia sua presença no Brasil

0 225

Entrevista Especial

Por Severian Rocha

Agosto, 2016 Da Ásia para Mogi Guaçu, cidade do interior paulista, é uma distância enorme. Mas para se conquistar novos mercados, tudo fica mais perto e atraente no mundo dos negócios, em especial quando se trata da gigante chinesa LiuGong, uma das maiores fabricantes de carregadeiras com roda do mundo.

BAUMA
LiuGong, na Bauma 2016.

Com o Know-how de uma companhia, que tem sido fundamental na modernização e no desenvolvimento da infraestrutura na China, a empresa há mais de 55 anos conquista importantes regiões comerciais, da Europa, Ásia, África e América Latina.  No Brasil, a LiuGong  montou sua base, com engenheiros e técnicos especializados para atender seus clientes em todo território nacional e países vizinhos do continente. Para entender melhor seus projetos, seus mais de 15 produtos, desde: pás mecânicas, retroescavadeiras, miniescavadeiras até caminhões de despejo para mineração, o Jornal da Construção Civil entrevistou o diretor da empresa no Brasil, Bruno Barsanti, vice-presidente da LiuGong Latin America.

JCC – Conte um pouco da nova fábrica no interior de São Paulo? Antes, a empresa possuía uma filial em Minas e hoje, todas as atividades da empresa estão baseadas em Mogi – Guaçu – SP? 

Bruno Barsanti A unidade de Mogi-Guaçu hoje concentra todas as operações comerciais, administrativas e fabris da LiuGong no Brasil. O novo canal de relacionamento com os clientes da empresa, o Canal LiuGong, também está localizado nessa central.

JCC – A empresa recentemente passou a fabricar suas máquinas aqui no Brasil. Para LiuGong, mesmo com o momento atual, de turbulência política e econômica, o país representa um mercado em expansão?

Bruno Barsanti Sim, o Brasil continua a ter um cenário interessante para a LiuGong mesmo em meio às incertezas econômicas e políticas atuais, oferecendo ótimas perspectivas de crescimento.Existe principalmente muito potencial na área de construção de infraestrutura. Há diversos estudos de organismos internacionais que apontam o déficit no Brasil de grandes obras em rodovias, energia elétrica, saneamento, entre outras, em relação às necessidades de atendimento às demandas sociais e econômicas para a manutenção do crescimento. Agora com a fábrica de Mogi Guaçu, estaremos com os primeiros equipamentos pesados nacionalizados sendo entregues ao mercado nos próximos meses, com a possibilidade de financiamento com Finame.

JCC – No caso da América do Sul, como tem sido a presença da LiuGong? Brasil é o grande destaque?

Bruno Barsanti – Entre os países onde a LiuGong atua, Brasil se destaca entre os maiores mercados do mundo com grande potencial para investimentos em construção civil principalmente em infraestrutura. E alinhados com esta informação, concentramos nossos esforços na construção de uma fábrica no país e em investimentos em toda a estrutura de vendas e pós-vendas.

JCC – Hoje além da própria China e Ásia, como a empresa tem fortalecido sua presença em outros mercados, como Europa, África e América do Sul?

Bruno Barsanti – Sem dúvida. Através da aquisição da HSW e sua subsidiária Dressta, juntamente com sua presença novamente na Bauma, a LiuGong tem firmado seu posicionamento no mercado europeu.

A empresa tem mais de nove linhas de produtos especificamente projetadas para as demandas europeias. Sua nova série de escavadeiras Tier IV E-series, por exemplo, cumpre todas as normas de emissão de poluentes do mercado europeu. A LiuGong conta também com uma central de peças que envia para toda a Europa.

No que se refere à África, a empresa tem presença na África do Sul, principalmente nas áreas de infraestrutura, portos e agricultura. (a LiuGong Latin America não possui informações específicas sobre a LiuGong na África)

Quanto à América do Sul, a empresa fortaleceu sua presença nos últimos anos, especialmente no Brasil. Uma fábrica foi inaugurada em março do ano passado em Mogi-Guaçu, local que atualmente concentra as operações da LiuGong em território brasileiro, oferecendo fabricação dos equipamentos, vendas de equipamentos e peças, além do suporte aos clientes. E ainda dispõe de centro de distribuição no Uruguai e uma fábrica de empilhadeiras na Argentina.

JCC – A empresa neste ano participou da Bauma 2016, umas das maiores feiras do setor de construção do mundo, que aconteceu na Alemanha. Como foi a participação? Dentre os lançamentos e novidades que a empresa apresentou na feira, o que setor da construção pode esperar das máquinas da LiuGong?

Bruno Barsanti – Os equipamentos apresentados na Bauma 2016 trazem melhorias em termos de produtividade, economia e emissão de poluentes, atendendo a rígidas políticas de controle dos países europeus. Como é de conhecimento do mercado, os equipamentos LiuGong são muito bem aceitos no mercado por conta da facilidade de uso e de manutenção principalmente por contarem com diversas partes universais de empresas renomadas no mercado como Cummins, ZF, Kawasaki, entre outras. Na Bauma, especificamente, pudemos estreitar o relacionamento com nossos clientes e abrir novas perspectivas de vendas de equipamentos não somente para a Europa, mas para todos os países do mundo em função da relevância da feira.

JCC – Voltando ao Brasil, deixe uma mensagem para um país gigante como este?

Bruno Barsanti – A LiuGong sempre manteve um forte comprometimento em termos de investir no Brasil. Desde 2007, quando iniciou suas operações no país, vemos oportunidades de dar suporte às necessidades de investir em obras de construção civil e mineração, ofertando equipamentos, peças e serviços de alta qualidade e com excelente custo / benefício em comparação com outras marcas do mercado. Nosso compromisso de qualidade se reflete na fidelidade de nossos clientes e elevada satisfação com o relacionamento comercial e pessoal conosco.

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.