Educação ameaçada: Protestos contra cortes de verbas nas universidades levam milhões de estudantes para às ruas do Brasil

Protestos contra Reforma da Previdência, contra a liberação do porte de armas, volta urgente dos investimentos em infraestrutura e geração urgente de empregos também foi abordado nos atos.

306

Por Severian Rocha 

Maio, 2019 – Após o governo federal, através do Ministério da Educação(MEC), anunciar no mês de abril/19 cortes de verbas em 63 Universidades Públicos e 38 Institutos Federais na ordem de R$ 1,7 bilhão, milhares de estudantes de todo o país saíram às ruas novamente contra a medida que inviabiliza os investimentos nas áreas de ciência, desenvolvimento e pesquisa universitária brasileira. Investimentos no ensino básico também foi afetado, mesmo, o governo federal afirmando que é prioridade o ensino de base.

De acordo com muitos reitores das universidades federais, o corte de gastos promovido pelo MEC vai  afetar 50% os serviços prestados pelas instituições, inclusive serviços de manutenção, como limpeza de banheiros, segurança, luz e água. Na Universidade Federal Fluminense(UFF), Universidade Federal da Bahia (UFBA) e a Universidade Nacional de Brasíli(UNB), três primeiras instituições atingidas pelo corte de verba do governo federal se manifestaram imediatamente solicitando por parte dos seus reitores esclarecimentos sobre o processo de redução de dinheiro.

João Carlos Salles, Reitor da UFBA, ficou surpreso com o anúncio do corte de 30% na sua dotação orçamentária ou seja cerca de R$ 230 milhões de redução. O Ministro da Educação, alega que a UFBA, UFF e a UNB, é um centro de Balbúrdia e por isso são as primeiras a terem corte. 

Para apimentar os protestos, o presidente Jair Bolsonaro chamou de “idiotas”., os estudantes brasileiros. Já no dia de ontem(30/05), o Ministro da Educação disse em vídeo que estava recebendo denúncia de pais de alunos sobre possíveis pressões que estudantes estavam sofrendo por professores, para participarem de protestos. De acordo com o Ministro, essas ações visam combater um suporto combate ideológico.

Na contra mão dessa linha dura do governo Bolsonaro, Rio, São Paulo, Minas, Recife, Salvador, Fortaleza, São Luis, Porto Alegre, Goiânia, Florianópolis, Curitiba, Amazônia, Rio Branco, Cuiabá, João Pessoa, entre outras 129 cidades do país. De acordo, com a União Nacional dos Estudantes, hum milhão de estudante saíram às ruas ontem(30/05). Somente em na capital paulista, 300 mil pessoas estiveram no ato.Na Universidade de Federal de Viçosa(MG) – Campus Rio Paranaíba, também alunos saíram às ruas e manifestaram sua indignação contra medidas adotadas pelo Abraham Weintraub – Ministro da Educação que sufoca o funcionamento estrutural das instituições federais brasileiras. A UFV, é umas das principais universidade do mundo em pesquisa voltada para o setor de agricultura.

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.