Economia está forte e sem risco de colapso, diz Meirelles no 89º ENIC

185

Maio, 2017 – O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse hoje que apesar da crise, a economia brasileira apresenta sinais de crescimento, “já está forte, não está sujeita a qualquer abalo ou a entrar em colapso”. Aprovadas as reformas estruturais propostas pelo governo, o Brasil pode chegar a uma taxa de crescimento entre 3,5% a 4% ao ano, informou ele, durante painel no 89º Encontro Nacional da Indústria da Construção (ENIC).

AA CBIC
Ministro da Fazenda, Henrique Meirelles durante o 89º ENIC. Fotos: André Piccinini

O ministro alertou para o pessimismo exagerado, “que pode levar a decisões equivocadas”. E garantiu que mesmo com a crise política enfrentada pelo presidente Michel Temer, a Reforma da Previdência “já está incorporada” à agenda do país e  “extrapola esse campo de debate”.

“Como eu disse, acho que a Reforma da Previdência é algo que é cada vez mais uma consciência nacional. O presidente Temer introduziu esse debate, mas é hoje uma proposta cada vez mais incorporada pela Nação”, afirmou.

Meirelles apresentou dados do Banco Central que indicam a retomada do crescimento econômico no primeiro trimestre do ano, reiterando a previsão de alta de 0,5% no Produto Interno Bruto (PIB) em relação ao ano passado.

“O fato concreto é que o Brasil, hoje, ao contrário do que muitos dizem, não é uma economia de um Estado fragilizado. Tem condições de crescer. Não é uma economia que está sujeita a qualquer abalo ou sujeita a entrar em colapso. Hoje temos uma economia que já está forte”, depois de mergulhar na pior recessão da história, continuou. “É um mérito deste governo”, disse o ministro, citando a aprovação da legislação do públicos, que segundo ele já está dando resultados. Citou ainda o encaminhamento das reformas da Previdência e trabalhista. “Tudo isso é que está dando empuxo e consistência na recuperação econômica”.

Meirelles ressaltou a queda da inflação, que leva àa redução dos juros,  resulta num aumento do poder de compra da população. “Nos últimos meses, empresas e famílias iniciaram um processo para pagamento de dívidas, processo que era fundamental para que a economia pudesse voltar a crescer”, afirmou.

Citou ainda medidas microeconômicas, que devem permitir a redução dos spreads bancários. “O importante é que o país está na rota certa, está crescendo. Questionado se acha possível Temer continuar no palácio do Planalto, o ministro da Fazenda respondeu que “o importante é a continuidade dessa via de retomada da economia brasileira”. Ressaltou ainda a importância de se manter “serenidade e equilíbrio”.

“Nós temos uma tendência de, em determinados momentos em que as notícias são boas, colocar um otimismo exagerado, o que é negativo, porque pode levar a decisões equivocadas”, disse o ministro da Fazenda, aos empresários da construção, presentes ao do painel “O Brasil do Futuro: As Oportunidades em um Novo Ambiente de Negócios”, mediado pelo jornalista Cristiano Romero, do jornal Valor Econômico.

O 89° Encontro da Indústria da Construção (ENIC) é uma promoção da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e uma realização do Sinduscon­DF. As reuniões técnicas das Comissões, Fóruns e Banco de Dados da CBIC contam com a correalização do SENAI Nacional e SESI Nacional.

Fonte: Boletim CBIC

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.