Despoluição da Baía de Guanabara continua por meio de nova obra da Passarelli

Empresa será responsável pela construção do Coletor Tronco Faria-Timbó, na capital fluminense, que beneficiará 21 bairros e 456 mil habitantes

0 167

Novembro, 2019 – A Passarelli, uma das mais tradicionais empresas de engenharia do País, assinou contrato com a SEAS – Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade do Rio de Janeiro para construir o Coletor Tronco Faria-Timbó, obra do PSAM – Programa de Saneamento Ambiental dos Municípios do entorno da Baía de Guanabara -, do qual a Passarelli já é parte integrante. A empresa foi a responsável pela construção do Coletor Tronco Cidade Nova, cuja primeira fase do projeto foi entregue em abril de 2019.

A obra do Coletor Tronco Faria-Timbó, prevista para iniciar entre o fim de 2019 e começo de 2020, e ser concluída em dois anos, terá um total de 6.095 metros de extensão, coletará 1.049 litros de esgoto por segundo, que atualmente são lançados na Baía de Guanabara e que após a conclusão das obras serão direcionados até a Estação de Tratamento de Esgoto de Alegria (ETE Alegria). Quando concluída, a obra beneficiará 456 mil habitantes, residentes nos bairros de Ramos, Bonsucesso, Olaria, Del Castilho, Inhaúma, Tomás Coelho, Engenho da Rainha, Higienópolis, Engenheiro Leal, Cavalcanti, Engenho de Dentro, Pilares, Maria da Graça, Encantado, Todos os Santos, Piedade, Cascadura, Madureira, Oswaldo Cruz, Marechal Hermes e o Complexo Habitacional do Alemão.

“Será uma obra complexa e de grande porte, executaremos túneis em trechos de rocha e de solo, que necessitam de expertise técnica e de equipamentos avançados e de alta tecnologia para uma perfeita execução”, conta Cássio Penteado Serra Neto, gerente de obras da Passarelli responsável pela obra do Coletor Tronco. Ele destaca que, dos 6.095 metros de extensão total da obra, 4.740 metros serão escavados pelo Método Não Destrutivo (MND) com diâmetro de 1.500 mm, sendo 1.477 metros em rocha e 3.263 em solo. Ambos serão executados utilizando os Shields da Passarelli. A obra contará ainda com execução de trechos em Vala à Céu Aberto (VCA) nos diâmetros de 1.000 e de 600 mm.

No trecho mais complexo, que inclui a escavação em rocha, a Passarelli vai utilizar a versão mais avançada de sua máquina Shield – única do Brasil e da América Latina capaz de escavar em rocha -, adquirida pela empresa em 2018 da alemã Herrenknecht. Com 1.500 mm de diâmetro, esta mesma máquina levou apenas 30 dias para completar um túnel de 116 metros sob o leito do Rio Tietê, em Barueri (SP), em obra para a Sabesp.

“Para a Passarelli é motivo de muita satisfação continuar a empregar sua expertise, a alta qualidade de sua engenharia, assim como tecnologias modernas e de última geração para despoluir a Baía de Guanabara, e, principalmente, beneficiar a população da capital fluminense”, afirma Cássio.

 

Fonte: Imprensa/ Passarelli

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.