Crise econômica no Rio: estrutura produtiva “oca” e volatilidade do preço do petróleo

Primeiro encontro do ciclo de palestras do Corecon-RJ e Rede Pró-Rio reúne economistas, acadêmicos e políticos

0 205

Agosto, 2019 – O primeiro debate do “Ciclo de palestras Corecon-RJ e Rede Pró-Rio: uma agenda para o Rio e seus municípios” reuniu na quarta-feira, 14 de agosto, na sede do Conselho Regional de Economia do Rio de Janeiro (Corecon-RJ), dezenas de economistas, acadêmicos, políticos, pesquisadores e intelectuais. O encontro foi o primeiro de uma série de eventos, que tem como objetivo apontar caminhos para o Rio de Janeiro superar a atual crise econômica.

Paula Nazareth, do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro, traçou um histórico da involução institucional do Rio de Janeiro, de capital federal para capital estadual. Ela apontou a fragilidade da dependência dos recursos advindos da exploração do petróleo, cujo preço é instável. A economista também ressaltou a distribuição desigual dos recursos entre os municípios do estado.

Bruno Sobral, integrante da coordenação da Rede Pró-Rio, lembrou que o Estado do Rio de Janeiro tem o segundo maior PIB do país, mas é superado por Minas Gerais em termos de receita tributária.

“Nossa estrutura produtiva é ‘oca’. A indústria de transformação tem um peso pequeno no nosso estado. Os recursos do petróleo serviram como um véu para esconder a situação durante algum tempo, mas não são suficientes para compensar essa deficiência,” afirma Bruno Sobral.

Ricardo Lodi, da Uerj, criticou a excessiva centralização da arrecadação tributária nos cofres da União. As limitações orçamentárias dos estados e municípios, responsáveis pelos principais serviços públicos, como Saúde e Educação, impactam o bem-estar da população.

Fernando Gaiger, do Ipea, enfatizou a importância dos investimentos em Educação e Saúde para a redução da desigualdade de distribuição de renda. Na contramão do receituário neoliberal, defendeu a manutenção de um Estado forte e carga tributária alta, que permitam uma melhora paulatina nos serviços prestados aos cidadãos.

O segundo encontro do ciclo de palestras acontecerá em 18 de setembro com o tema “Estrutura produtiva e mercado de trabalho no Rio de Janeiro.”

Fonte: Imprensa/Corecon-RJ

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.