Construção: Filmes de proteção da Promaflex reduzem riscos de perdas, invertem fases e ampliam a rentabilidade das empresas

Ganho de qualidade aumenta o grau de satisfação dos clientes e representa vantagem competitiva para as empresas do setor

27

Os filmes de proteção fabricados pela Promaflex, a maior empresa do setor na América Latina, para itens como janelas, vidros, bancadas e pisos, estão causando uma transformação profunda nas obras, com ganhos de qualidade, redução de perdas e inversão de fases nas construções, que são finalizadas mais rapidamente e com vantagens competitivas para as empresas.

Uma das empresas mais tradicionais do mercado no Brasil, a R. Yasbek, utiliza os produtos de proteção na totalidade de seus empreendimentos, conta o superintendente de Construção, o engenheiro civil César Kato. “A R. Yasbek é uma empresa que tem ISO 9.000 e prima pela qualidade. A proteção é parte deste compromisso de atender às expectativas dos nossos clientes”, ressalta ele.

De acordo com ele, há ganhos também no processo produtivo. “A proteção reduz o retrabalho e, dessa forma, há uma economia de tempo e dinheiro nas obras”, destaca.

Kato diz que a proteção do porcelanato no banheiro, por exemplo, possibilita a execução de outros serviços como o de pintura, acelerando a execução do empreendimento. “Seria muito complicado colocar uma escada ou andaime no local sem que houvesse essa proteção”, afirma.

O superintendente lembra que a substituição de uma determinada peça danificada pode ser complexa, por falta de disponibilidade imediata no mercado, o que torna a proteção ainda mais fundamental.

O engenheiro civil João Sorani, supervisor de Suprimentos da Construtora Porto Ferraz (referência em obras de alto padrão), é outro exemplo de profissional com grande experiência na utilização dos filmes de proteção produzidos pela companhia, como o Promapiso, Procaixilho e Providro. “Já é padrão da construtora exigir que a estrutura de alumínio das janelas (também conhecida como caixilho) e vidro venham de fábrica com a proteção”, conta o engenheiro.
Sorani salienta que a proteção possibilita antecipar fases nas obras, como por exemplo no caso de proteção das bancadas. “Com a bancada protegida, podemos executar diversos serviços no apartamento”, exemplifica o executivo.

De acordo com ele, a proteção também reduz consideravelmente a possibilidade de perdas causadas por incidentes nas obras, contribuindo para a manutenção dos prazos e da qualidade dos empreendimentos. “O resultado final é mais qualidade na entrega do imóvel e o aumento da satisfação do cliente com a construtora”, ressalta.

O diretor da área da área de Construção da Promaflex, Marcelo Velletri, destaca que a inversão da fase das obras representa uma vantagem competitiva para as construtoras, sobretudo nas que trabalham com financiamentos, como no Programa Casa Verde e Amarela, do governo federal.

“São financiamentos que dependem da medição das esquadrias para a liberação de recursos. É uma receita que será antecipada”, destaca. Essa etapa de medição do caixilho representa cerca de 4% do valor total da obra.

O empresário Sérgio Omori, sócio e gerente comercial da fabricante de janelas de alumínio E Metal, de Sorocaba (interior de São Paulo), confirma que a proteção é cada vez mais demandada pelo mercado da construção.

“Assim que conhecem os benefícios proporcionados pela proteção, passam a fazer questão da instalação do produto”, diz Omori, que tem como clientes algumas das principais construtoras que atuam no mercado paulista.

De acordo com ele, a inversão da fase da obra, por conta da proteção nas esquadrias, proporciona um ganho de aproximadamente 30 dias na entrega no prazo de entrega desta etapa. “É um método que alia eficiência e rentabilidade”, finaliza.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.