Construção Civil gera apenas 380 empregos no mês de setembro, segundo CAGED

0 108

Da Redação

Outubro, 2017 – O Ministério do Trabalho divulgou ontem(19), o balanço da abertura de novos empregos no Brasil. De acordo com dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados(Caged), o país abriu 34.392 vagas de emprego, aumento de 0,1% em comparação ao mês de agosto/17.  Apesar do crescimento positivo de postos de trabalho, os números são ainda tímidos para a dimensão de pessoas sem empregos, cerca de 13 milhões segundo o IBGE  é, 22 milhões no trabalho informal. Ou seja, o Brasil está com quase 1/4 da população sem trabalho fixo mensal. 

TRABALHADORES-COMPERJ
Trabalhadores da Construção Civil ainda sofrem com a crise. Créditos:JCC

Na Construção Civil, setor que sofre bastante em decorrência de vários problemas, como a operação Lava Jato, Falta de financiamento e investimentos para infraestrutura, é ainda possui 5 mil obras paralisadas perdeu ao longo dos últimos anos, 1 milhão de trabalhadores.  Para quem só criou 380 empregos em setembro/17, imagina o problema para o governo resolver.

Em relação aos números do CAGED,  08 setores de atividade econômica que apresentaram crescimento no nível de emprego são: Indústria de Transformação (+25.684 postos), Comércio (+15.040 empregos), Serviços (+3.743) e Construção Civil (+380 postos). Para o Ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira este momento reflete: “O otimismo da indústria já se traduz em números na produção e na geração de empregos do setor, e esse resultado também está chegando a outras áreas da economia”, explica o ministro .

Importante que chama muita atenção no setor de construção civil é que as vagas abertas são especialmente ligadas ao setor elétrico. Nos dados do CAGED mostra a Construção Civil registrando saldo positivo em Obras para Geração e Distribuição de Energia Elétrica e para Telecomunicações (+2.293 postos) e em Instalações Elétricas (+1.050 postos).

Regiões e Estados: O nordeste foi o a região que mais criou empregos com abertura de +29.644 vagas. As regiões Sul (+10.534 vagas) e Norte (+5.349 vagas) também tiveram números positivos. Já nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste houve redução, respectivamente, de -8.987 postos e -2.148 empregos.

O Caged foi positivo em 20 das 27 Unidades da Federação. O melhor resultado do mês foi de Pernambuco, que abriu 13.992 novos empregos, motivado principalmente pela expansão da Indústria de Transformação (+10.073 postos), Agropecuária (+3.728 postos), Comércio (+824 postos) e Construção Civil (+201 postos). Também se destacaram os estados de Santa Catarina (+8.011 empregos), Alagoas (+7.411), Pará (+3.283), Paraná (+2.801), Bahia (+2.297), e Ceará (+2.161).

Por outro lado, o Rio de Janeiro (-4.769 empregos), Minas Gerais (-4.291) e Goiás (-3.493) tiveram as maiores reduções no estoque de empregos em setembro.

Salário – Segundo o Caged, o salário médio de admissão em setembro de 2017 foi de R$ 1.478,52 e o salário médio de demissão foi de R$ 1.685,37. Em termos reais (deflacionado pelo INPC), no acumulado de 12 meses, os ganhos reais foram de R$ 78,27 (admissão) e R$ 59,50 (demissão).

Fonte: Ascom/Ministério do Trabalho

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.