Congresso Aço Brasil: Crescimento do Brasil depende da retomada dos investimentos em infraestrutura e das reformas

Segundo dia do Congresso Aço Brasil traz estudo inédito feito pelo Instituto Aço Brasil em parceria com a consultoria e8: 54 obras do PPI podem consumir até 8,4 milhões de toneladas do metal

0 637

São Paulo, agosto, 2018 – O segundo dia do Congresso Aço Brasil 2018 trouxe uma discussão primordial para o desenvolvimento do país: quando os necessários projetos de infraestrutura serão retomados para destravar o crescimento? É consenso entre os representantes da indústria que somente o investimento em infraestrutura fará o país retomar o caminho do crescimento. Tanto Paul Procee, do Banco Mundial; quanto José Carlos Martins, presidente da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) apresentaram um dado contundente: um país para crescer precisa investir pelo menos 5% do seu Produto Interno Bruto em obras de infraestrutura. O Brasil, atualmente, tem injetado menos de 2% do PIB no segmento, enquanto a Colômbia mantém um mínimo de 4% e a China, pelo menos 7% anuais.

“Não foram criadas as condições para que o investimento voltasse ao Brasil”, afirma José Carlos Martins.

Projetos há, mas eles precisam sair do papel. Foi apresentado no Congresso Aço Brasil nesta quarta-feira (22) estudo inédito feito em parceria entre o Instituto Aço Brasil, organizador do evento, e a consultoria e8. Foram analisadas 54 obras do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) do Governo Federal. E a esperança da siderurgia ter sua produção revertida em infraestrutura pode estar aí.

A coordenadora do estudo, Eliana Taniguti, disse que os sistemas previstos no PPI de óleo e gás, ferrovias, aeroportos, portos e rodovias têm potencial de consumo de 8,4 milhões de toneladas de aço, gerando impactos para lá de relenvantes.

Relevantes e cruciais não só pra indústria do aço.

“Temos condições de ajudar o país a entrar nos eixos. Com qualidade de serviço, emprego, renda e desenvolvimento. O próximo governante precisa fazer reformas. Apostem na construção para isso. Tenho certeza que o Brasil será outro”, acrescenta José Carlos Martins da CBIC.

Investir mais e melhor

O holandês Paul Procee, que lidera o programa de infraestrutura e desenvolvimento sustentável do Banco Mundial e é coautor do estudo “Back to Planning: How to Close Brazil’s Infrastructure Gap in Times of Austerity”, faz uma crítica também à qualidade de investimentos do país.

“Temos que gastar com qualidade. O grande gargalo do país é a falta de planejamento. Falo com investidores de todo mundo que queriam vir pro Brasil, mas a falta de planejamento claro e as mudanças de regra desencorajam”, constata Procee.

Primeiro dia do evento

A manhã de terça-feira (21) foi marcada pela abertura do Congresso Aço Brasil 2018, maior evento da cadeia produtiva da indústria do aço; organizado pelo Instituto Aço Brasil. O presidente Michel Temer e o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marco Jorge de Lima; foram os representantes do Governo Federal presentes. A manhã do evento contou com a posse do novo presidente do Conselho Diretor Aço Brasil, Sergio Leite de Andrade, da Usiminas. Ao lado de Marcos Eduardo Faraco (Gerdau), eles serão as lideranças da indústria do aço nos próximos dois anos.

Fonte: Instituto Aço Brasil

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.