CBIC cria Fórum Nacional e fortalece projeto O Futuro da Minha Cidade

0 99

Objetivo é fomentar a troca de experiências entre as cidades engajadas

Outubro, Brasília, 2017 – Você quer ser protagonista ou refém das mudanças? Foi para fazer essa provocação que a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) mobilizou sua Comissão de Meio Ambiente (CMA) e criou o projeto O Futuro da Minha Cidade, cujo principal objetivo é motivar a sociedade organizada para influenciar a gestão das cidades, pensando soluções para a sustentabilidade urbana, tendo como objetivo o crescimento econômico e a melhoria da qualidade de vida nos municípios. Desencadeado no ano de 2014, em correalização com o Serviço Social da Indústria – Sesi Nacional e patrocínio nacional da Caixa Econômica Federal, o projeto tem como inspiração a experiência bem sucedida da cidade de Maringá (PR) e já mobiliza 20 cidades Brasil afora.

CBIC

Para articular esse diálogo, cada cidade cria um Conselho formado por cidadãos comprometidos e envolvidos com a concretização das propostas: são os “apaixonados” – para fortalecer ainda mais o projeto e favorecer a disseminação das boas práticas, a CBIC criará um fórum nacional, aglutinando todos os Conselhos e Grupos Articulados instalados. O anúncio será feito durante workshop marcado para o dia 31/10, a partir das 09h, no auditório do Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Goiânia (Codese), na cidade de Goiânia-GO.

“Esse projeto dá voz ao cidadão, estimulando que cada um assuma o compromisso de pensar sua cidade e atuar para que as melhores práticas sejam adotadas, em benefício da coletividade”, diz José Carlos Martins, presidente da CBIC. “A atuação no tema Cidades Sustentáveis é prioritário para a Comissão de Meio Ambiente e os resultados exitosos de O Futuro da Minha Cidade, que serão apresentados em Goiânia, uma das cidades que são referências para o projeto, mostra o amadurecimento da articulação do setor para apoiar no empoderamento dos habitantes que vivem sua cidade”, diz Nilson Sarti, presidente da CMA/CBIC. Ambos destacam que a experiência acumulada por O Futuro da Minha Cidade demonstra que o cidadão sabe o que é melhor para a cidade em que vive e está disponível para apoiar e fiscalizar o poder público, de forma a induzir e fiscalizar a execução das melhores iniciativas.

Para o presidente do CODESE, Euclides Siqueira Barbo, a sociedade começa a perceber que não pode esperar que o poder público assuma sozinho a responsabilidade pela condução de um futuro que, na verdade, pertence a todos. “O conhecimento, a participação direta do cidadão, o engajamento de cada peça desse coletivo nos possibilita processar dados e produzir documentos analíticos de realidade para auxiliar o poder público na construção de metas alcançáveis, com vistas a construir, de forma racional, esse futuro por nós almejado e projetado”. Barbo ressalta, ainda, a importância de consensos e trabalhos em parceria, no sentido de desenvolver instrumentos efetivos para a aplicação prática dessas ideias.

O projeto O Futuro da Minha Cidade vem produzindo uma revolução silenciosa nas cidades onde foi implantado, mudando de forma positiva a relação do cidadão e dos setores organizados com a comunidade. Hoje, estão implantados e em plena atividade os conselhos das cidades de Aparecida de Goiânia (GO), Goiânia (GO), Brasília (DF), Belém (PA), Cascavel (PR), Campo Grande (MS), Caxias do Sul (RS), Chapecó (SC), Itapema (SC), Joinville (SC), Manaus (AM), Natal (RN), Porto Velho (RO), Santa Maria (RS), São Gonçalo do Amarante (CE), São Luís (MA), Teresina (PI), Uberlândia (MG), Vitória (ES) e Volta Redonda (RJ).

“Se o prefeito for comprometido vai entender que se a sociedade se organiza e apresenta um projeto, não tem como não dar certo. A proposta já vem revestida de legitimidade e evita conflitos. Se continuarmos com a disseminação deste projeto, teremos um País muito diferente do que hoje encontramos”, afirma o engenheiro Sílvio Barros, ex-prefeito de Maringá, cidade pioneira nessa experiência, e consultor da CBIC. Durante sua segunda gestão, iniciada em 2009, Barros apoiou o Conselho de Desenvolvimento Econômico de Maringá (Codem), que desenvolve ações objetivando o planejamento da cidade a longo prazo, cujo modelo tem sido replicado com sucesso por O Futuro da Minha Cidade. Ao longo de seus dois mandatos, Barros foi premiado pela adoção de boas práticas de gestão na administração pública e tornou-se referência nacional.

EVENTO AGLUTINADOR – Os Conselhos fomentados por O Futuro da Minha Cidade são formados por representantes da sociedade organizada e da população das cidades, organizados em equipes que absorvem diversas funções: os representantes, que lideram ações de sensibilização e mobilização de lideranças; os participantes, que são formadores de opinião e podem mobilizar seus conhecimentos, habilidades e atitudes; e os facilitadores, que são treinados para planejar, preparar e administrar o processo. O conselho tem a incumbência de pensar o futuro da cidade num horizonte de 20 anos, formular um plano estratégico e desencadear a necessária articulação com o poder público para que as ações saiam do papel.

O Workshop O Futuro da Minha Cidade levará à capital de Goiás dirigentes e empresários da indústria da construção, representantes dos Conselhos instalados no âmbito do projeto em diversas cidades brasileiras, autoridades da administração pública e muito outros apaixonados. Goiânia já aderiu ao projeto e suas ações estão bem avançadas. Uma das metas do projeto colocadas pela população é elevar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da cidade da 45ª posição para a 10ª no Brasil. O Codese criou 11 câmaras técnicas, alinhadas com a vocação econômica da cidade: Vestuário e Moda; Turismo de Negócios; Polo Educacional; Polo Tecnológico; Logística e Distribuição; Negócios Agropecuários; Saúde; Desenvolvimento Urbano; Melhoria da Gestão Pública (Desburocratização), Goiânia Social e Segurança.

Links: http://bit.ly/2zRxS8E

Programação: http://bit.ly/2lpIIjG

Fonte: Imprensa/CBIC

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.