A situação é a seguinte: 295 mil mortos vitimados por Covid19. É R$150,00 de auxílio “fome” emergencial do Paulo Guedes e companhia…Está tudo fora de ordem.

Inicialmente pago no valor de R$ 600,00 e logo após finalizou com valor de R$ 300,00, o auxílio emergencial salvou 68 milhões de brasileiros sem renda e vulnerável ao caos sanitário e econômico.

242

 Março, 2021 – A pandemia não acaba, falta leitos de UTIs, cilindros de Oxigênios e agora, de acordo com várias associações médicas, está faltando o básico de medicamentos para atendimento dos milhares de pacientes que lotam hospitais de todo o Brasil.

Sem governo federal, estados e municípios estão adotando medidas de fechamento de serviços não essenciais numa tentativa tímida de frear os trágicos aumento de mortes, que  já passam de mais de 295 mil mortes no país. Talvez,  o Brasil possa chegar aos 500 mil mortes pela Covid-19.

Outra doença que mata muito é a fome. O Ministro Paulo Guedes, gênio de Chicago,  lançou o novo auxílio emergencial da miséria com alguns critérios confusos ou seja,  os valores variam entre R$ 150,00 e R$ 375,00, para quem recebeu R$ 600,00 ou R$ 300,00 sem restrições, é uma humilhação ficar sem receber o auxílio nos três primeiros meses do ano e, ainda ficar sabendo que os novos valores não dará para comprar pão, arroz, carne e botijão de gás. A desconexão da realidade do momento atual, dos milhões de brasileiros é tão grande por parte da equipe econômica que R$150,00 é apenas 20% da valor de uma CESTA BÁSICA onde na cidade de São Paulo custa R$ 640,00.

Pelo mundo, auxílios emergencial, varia muito: no IRÃ U$D 400,00, Alemanha 700 Euros, EUA U$D 1.400 e Itália 100 Euros.

Para entender o descaso do governo federal para com os pobres brasileiros assista o vídeo da economista Ju Furno  que explica os erros de Paulo Guedes.

 

 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.