Trabalhadores da construção civil se unem para arrecadar brinquedos para crianças carentes

0 52

Goiânia, Outubro, 2017 – Para quem hoje é adulto e teve que se privar de muitas coisas boas durante a infância é fácil entender o brilho nos olhos de uma criança quando recebe um brinquedo. E justamente para se ver essa alegria no rosto de mais meninos e meninas que um grupo de operários de uma obra de Goiânia se organizaram e arrecadaram cerca de 200 brinquedos que serão doados no próximo dia 11, a mais de 120 crianças atendidas pelo CMEI Santa Terezinha, em Aparecida de Goiânia

Dia das crianças na obra
Colaboradores da Construção Civil arrecadaram cerca de 200 brinquedos que serão doados no próximo dia 11, a mais de 120 crianças atendidas pelo CMEI Santa Terezinha, em Aparecida de Goiânia. Divulgação

Que a criançada de hoje brinca de uma forma bem diferente daquelas crianças de 30, 40 ou 50 anos atrás isso é fato. Mas uma coisa não muda: o entendimento de especialistas sobre importância dos brinquedos no desenvolvimento emocional e mental dos pequenos. Sejam artesanais, como aqueles de antigamente, ou os mais sofisticados como os de hoje, o que se sabe é que esses objetos lúdicos são importantes aliados para o desenvolvimento cognitivo e motor das crianças.

Por isso, para quem hoje é adulto e teve pouco ou nenhum acesso a brinquedos, é fácil entender o brilho nos olhos de uma criança quando recebe um. Se depender de um grupo de operários da obra do Residencial Persona Bueno By Brasal esse brilho não faltará nos olhos de muitos pequenos nesse próximo Dia das Crianças, 12 de outubro.

Colaboradores aproveitarm a oportunidade para exercitar a solidariedade
Colaboradores aproveitarm a oportunidade para exercitar a solidariedade. Divulgação

A equipe do canteiro de obras abraçou a ideia proposta pela  técnica de segurança da obra, Kácia Gonçalves, e arrecadou cerca de 200 brinquedos, que serão doados nesta quarta-feira (11), às 14 horas, para mais de 120 crianças, entre 1 a 5 anos,  atendidas no  Centro Municipal de Educação Infantil Santa Terezinha, em Aparecida de Goiânia.

“A empresa se uniu à iniciativa e vai contribuir com a ação, oferecendo um lanche super especial para os pequenos, além de doação em espécie para compra de brinquedos. E também dispensará os colaboradores que participar da entrega às crianças”, relata Kácia.

“Querer e não poder ter”

Engajados com a campanha, a auxiliar de serviços gerais Silvanete Sousa Silva, 32 anos,  e o marido, o pedreiro Paulo Oliveira de Carvalho, 30, arrecadaram juntos 15 brinquedos. Para ela, o fato de ter tido uma infância muito pobre no interior do Maranhão sempre a fez refletir sobre a necessidade de ter que se privar de muitas coisas boas na vida, como um brinquedo. “Sei como é ruim você querer algo e não poder ter. Eu tive sete irmãos e se meu pai e minha mãe dessem algo para um, tinha que dar para todos, e era difícil. Então o máximo que eu já tive foi aquelas bonequinhas de pano que minha mãe mesmo fazia na máquina de costura”, lembra.

Passada a infância difícil, hoje Silvanete e o marido dizem que já se sentem muito felizes em oferecer para seus dois filhos, um jovem de 15 anos e uma menina de 12, muitas coisas a qual não tiveram acesso. “Sempre trabalhei muito para dar tudo o que precisam e sempre que tenho a oportunidade procuro ajudar outras pessoas também. Mesmo não sendo uma pessoa rica, acho que dividir, mesmo quando se tem pouco, é importante e faz bem”, diz.

Paulo Oliveira também compartilha do mesmo espírito de solidariedade da esposa e, inclusive, diz que ajudar ao próximo deveria ser uma atitude cultivada ao longo de todo o ano e não só em algumas poucas datas. “Lembro que quando era criança brincava com carrinho feito de lata, o chinelo era de pneu velho. Hoje penso como posso ajudar a tornar melhor a vida ou mesmo um dia só na dia de alguém. Sendo assim, sempre procuro dividir com os outros aquilo que Deus me ajudou a construir”, ressalta.

Campeão de doações

A solidariedade também faz parte da rotina do almoxarife da obra do Residencial Persona Bueno By Brasal, Allan Cavalcante, 29. Ele sozinho conseguiu 60 brinquedos novos e conta que a principal motivação para isso foi a vontade de ver a felicidade das crianças ao receberem os presentes.  “Em minha igreja temos ações de solidariedade para o Dia das Crianças, então seja aqui ou lá, procuro todo ano contribuir de alguma forma”, reflete. 

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.