Jovens moradores do Jardim Gramacho recebem projeto de fotografia sustentável ‘Olhares da Rua’

Exposição aberta ao público acontecerá no Jardim Gramacho em 10 de novembro e depois parte para Londres

0 295

Outubro, 2018 – Cerca de 20 jovens moradores do Jardim Gramacho receberão um desafio de 04 a 09 de novembro: retratar o local que já foi o maior aterro sanitário da América Latina com sua própria perspectiva. O Projeto ‘Eyes of The Street’ / Olhares da Rua (em português) chega pela primeira vez ao Rio de Janeiro, oferecendo oficinas de fotografia participativa para os jovens que vivem no local. Em parceria com a ONG Resgate da Infância Social (RISO), com a produtora Mairarê, e com a empresa social canadense Plastic Bank, o projeto fará a exposição das imagens no dia 10, na própria comunidade, mostrando que Gramacho é um espaço de sobrevivência e esperança e está pronto para alavancar um futuro diferente.

Projeto Eyes of the Street. Divulgação

“O Jardim Gramacho é um ambiente de descarte social, com problemas complexos. A mensagem do bairro é relevante para todo o mundo, pois o lixo é um subproduto de qualquer pessoa que consome, indiferente de sua posição social. O nosso desejo é plantar uma semente de esperança e compartilhar com os jovens participantes a oportunidade que a fotografia nos traz, como ferramenta de observação e reflexão, de expressar quem nós somos. Assim a gente cria laços, desafia estereótipos, e investe na autoestima dos participantes”, destaca Giselle Barboza, empreendedora social, antropóloga e co-fundadora do projeto.

Projeto Eyes of the Street. Divulgação

O projeto Eyes of The Street, que já teve edições em Recife, Nova Guiné, e Portugal, conta com um time de empreendedores sociais e film makers para dialogar com os jovens sobre as imagens que serão feitas pelos próprios moradores; construir habilidades técnicas e interpessoais. Todo o equipamento levado para a comunidade, como câmeras, materiais didáticos e metodologia, serão doados para a ONG RISO dar continuidade ao projeto. Sustentabilidade também será pautada nas oficinas pela empresa social canadense Plastic Bank, premiada pelas Nações Unidas por criar uma economia criativa que reduz o lixo plástico enquanto combate à pobreza. O objetivo nessa frente é implementar uma infraestrutura de economia solidária em Gramacho, de modo que os catadores possam trocar plástico por bens de consumo e alimentos.

O projeto dará voz à histórias das pessoas que fazem de Gramacho um local de sobrevivência, como a jovem Evelin Silva, 19 anos, mãe solteira de Kevin, cinco anos, que vive no local com mais duas amigas e vê nessa oportunidade uma forma de mostrar como é a realidade de quem vive no Jardim Gramacho. “É algo diferente. Vai ajudar a gente a mostrar como vivemos. Sofremos muito preconceito por morar aqui na comunidade. Aqui tem muita gente com sonhos, de bem”.

No dia 10 de novembro haverá a exposição fotográfica com as fotos feitas pelos próprios participantes na comunidade e depois as fotos seguem para Londres para uma exposição em 2019. A exposição é gratuita e aberta ao público e todos estão convidados para comparecer no dia 10 e conhecer os olhares e afetos dos jovens moradores do Gramacho.

Incentivo a exposição

Além da exposição dentro da comunidade, o projeto incentiva, como parte da estratégia de dar voz aos jovens moradores do Jardim Gramacho e criar oportunidades para os participantes, parceria com as galerias de arte do Rio de Janeiro, e em todo o Brasil, dando oportunidade para inclusão da exposição em seus espaços. Para as galerias que quiserem abrir um espaço para as obras, o contato pode ser feito através do site https://www.eyesofthestreet.org/

Sobre Jardim Gramacho

Localizado na região metropolitana do Rio de Janeiro, por quase 40 anos Jardim Gramacho foi o maior aterro sanitário da América Latina. Ocupando uma área de 1,3 milhões de metros quadrados, ficou conhecido mundialmente através do documentário Lixo Extraordinário (2011) e do último filme de Stephen Daldry (Trash, 2015). Fechado em 2012, o aterro deixou mais de 1.000 famílias de ex catadores, incluindo seus filhos, vivendo no local. A maioria deles vive em habitações precárias, feitas de madeira compensada, papelão, metal e qualquer material que possam encontrar. Gramacho não possui saneamento adequado nem um suprimento confiável de água.

Quem faz

Site: www.ongriso.com.br

 Site: www.mairareprodutora.com

Site: www.plasticbank.org

Serviço:

Exposição Eyes of The Street
Local: Rua Tocantins 30 – instituição Casa Amarela Jardim Gramacho
Data: 10 de novembro
Horário: 14h
Entrada Franca
Informações: https://www.eyesofthestreet.org/

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.