Expectativa do mercado do aço brasileiro é mais moderada para agosto, aponta Platts

186
Agosto, 2021 – Pesquisa mensal de mercado da S&P Global Platts mostra que os participantes do mercado siderúrgico brasileiro veem uma abordagem mais moderada para os preços em agosto, bem como reportaram expectativas mais fracas em relação aos níveis de produção e estoque.
Na pesquisa com produtores, distribuidores, traders e consumidores finais brasileiros realizada antes de agosto, o índice de evolução do preço do aço acabado caiu para 56,8, comparado a 67,6 da pesquisa de julho, indicando expectativas mais baixas de aumentos adicionais dos preços.
O índice varia de 0 a 100, com linha de corte em 50 pontos. Os dados acima desse valor indicam aumento, e abaixo indicam queda na comparação com o mês anterior. Uma leitura de 50 significa estabilidade. A visão dos produtores foi notavelmente interessante, pois caiu 30 pontos para um índice de 50, contra uma pontuação de 80 em julho, indicando expectativas de estabilidade. Alguns consumidores de aços planos ainda estão vendo potencial para aumento de preços, já que o índice destes respondentes atingiu uma média de 64,3, enquanto os compradores de aços longos obtiveram um índice de 60,7.
No acumulado do ano, os preços domésticos da bobina a quente e do vergalhão aumentaram 70,8% e 28,4%, respectivamente. Nos últimos 12 meses, os preços subiram 149,5% e 146%, de acordo com dados da Platts.
“Acredito que o mercado entrou em um ritmo de estabilidade ou algumas correções de preços”, disse um respondente que se identificou como produtor.
Outro produtor disse que as importações de aço estão forçando os preços nacionais a encontrar um teto.
Seguindo a mesma tendência, a perspectiva de preço para a matéria-prima do aço em agosto caiu para 57,3, ante 69,1 em julho, com as usinas prevendo uma tendência de queda, diante do índice médio de 46,4 para esse grupo de respondentes.
Um reciclador disse que ofertas reduzidas para a sucata ferrosa local já foram anunciadas para as especificações de obsolescência, variando entre R$ 50-100/t.
Quanto à produção de aço acabado, os entrevistados estavam menos confiantes quanto ao aumento das taxas em agosto, com o índice recuando 7,7 pontos para 59,9. Os respondentes de usinas, em geral, não esperam mudanças (53,5).
As expectativas para os níveis de estoque do aço acabado chegaram a 58,8, inalterados em relação a julho, mas com expectativas contrastantes entre os consumidores de aços longos e planos, com pontuações de 46,4 e 66,6, respectivamente.
Fonte: S&P Global Platts

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.